quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Cataguases: Prefeitura consegue na Câmara aprovação dos projetos Nunes & Amaral e Loteamento Floresta

A Câmara de Cataguases conseguiu aprovar nesta terça-feira (28), dois projetos que estavam em discussão há muito tempo no legislativo.

O primeiro, de número 73/2014, que a princípio, homologaria um contrato verbal entre o município de Cataguases e o escritório Nunes & Amaral, responsável por ter ganho um processo na justiça contra o INSS que durou 8 anos e trará para os cofres municipais, benefícios próximos aos R$ 2 milhões que poderão ser descontados, teve uma modificação, realizada pelos vereadores Fernando Pacheco Fialho, Aquiles Branco e Maurício Rufino, que ao invés de reconhecer um contrato verbal, motivo da polêmica, passou a autorizar o pagamento de contrato reconhecido pelo Executivo. Este projeto já estava em tramitação no legislativo municipal desde 9 de julho deste ano e agora, chega a um acordo, no qual o Município poderá descontar os valores devidos, sem se preocupar de enfrentar processo do escritório de advocacia que receberá honorários de 10% do valor descontado, sempre após cada desconto. O projeto foi aprovado por 13 votos favoráveis contra 2, dos vereadores Serafim e Beleza.

O vereador Serafim Spíndola, decidiu votar contrário ao projeto, por entender que o mesmo estaria privilegiando um credor em detrimento dos outros que segundo o vereador buscam também receber há muito tempo e não conseguem. Já o vereador Antônio Beleza, manifestou insegurança em relação a aprovação do projeto, pois segundo ele, não foi explicado se os servidores de cargos eletivos seriam prejudicados e se teriam direito a receber também a restituição, porém, outros vereadores como Maurício Rufino e Titoneli, disse que o processo já havia sido julgado pelo STF e que não seria a aprovação do pagamento que poderia mudar alguma coisa.

O segundo Projeto, foi o de número 75/2014, que revoga os Artigos 2º e 3º da Lei nº 2302/1994. O Projeto de 94, regulamentou o Loteamento Floresta, pertencente ao Sr. Manoel Luiz Mathias, que hoje é prefeito de Santana de Cataguases e deixava o Município responsável pela infraestrutura do loteamento em troca de 40 lotes em cessão de uso. Conforme foi explicado, o Município, na época do então prefeito Tarcísio Filho, teria doado os lotes a 40 famílias, sem ter realizado, até os dias de hoje, a infraestrutura necessária para que as famílias pudessem construir no local.  Por este motivo, o prefeito Cesinha Samor, resolveu atender a solicitação do proprietário e revogar o acordo, deixando o proprietário responsável pela infraestrutura e devolvendo os lotes para o mesmo. A polêmica, ficou na questão do que fazer com as pessoas que já haviam recebido os lotes, porém, na Sessão de 23 de setembro, os vereadores acharam por bem sobrestar o projeto para que a Prefeitura e a Secretaria de Assistência Social, pudesse levantar quantas pessoas ainda estariam em condições de receber estes lotes. Como nada foi comunicado, os vereadores resolveram aprovar o projeto com 13 votos favoráveis contra 2 do vereador Beleza e Walmir Linhares.

Outros projetos  aprovados na sessão de terça-feira foram:

Nº 83/2014 do Executivo que "autoriza a abertura de crédito especial por anulação de dotação e dá outras providências". Aprovado por unanimidade em 2ª votação.

Do Legislativo, foi aprovado também por unanimidade, o Projeto nº 54/2014 que regulamenta o pagamento de diária no âmbito da Câmara Municipal de Cataguases.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Farmácias de Plantão em Cataguases
27 Domingo
28 Segunda
29 Terça
30 Quarta
01 Quinta
02 Sexta
03 Sábado
Droga Minas Coimbra Econômica
Pague Menos Aeropharma Drogaria da vila