sábado, 22 de novembro de 2014

Prefeituras terão de assumir iluminação pública a partir de janeiro de 2015. em entrevista, prefeito Cesinha fala sobre o assunto

A partir de 1 de janeiro de 2015, todas as prefeituras ficarão responsáveis pelos ativos de iluminação pública, conforme resolução nº 414/2010 da ANEEL. Inicialmente, o prazo para a transferência de ativos de iluminação pública era até 9 de setembro de 2012 e posteriormente, foi prorrogado por duas vezes, 31 de janeiro de 2014 e finalmente 31 de dezembro de 2014.

A iluminação pública corresponde aos serviços referentes à iluminação artificial em logradouros públicos no período noturno ou em outros momentos ou circunstâncias em que não exista iluminação natural, excetuada a iluminação pública em ruas internas de condomínios fechados ou áreas externas de centros de compra.

A Constituição Federal atribui aos Municípios a responsabilidade de prestação de serviços de iluminação pública, equiparado a serviço de interesse local, conforme artigo 30, inciso V.

A referida Resolução Normativa da ANEEL, determinou então que se o sistema de iluminação pública estiver registrado como Ativo Imobilizado em Serviço da concessionária de distribuição de energia elétrica local o referido ativo deverá ser transferido ao Município competente.

Esta transferência, poderá ser por meio de alienação mas é possível também, a doação, em caráter excepcional, desde que haja prévia anuência da Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL.

Ao transferir os ativos de iluminação pública para os Municípios, as prefeituras passam a ser responsáveis pelos investimentos, operação e manutenção das redes de iluminação pública. Confira o que será transferido na imagem abaixo:


Em Cataguases, não será diferente. A Energisa, concessionária que detém os ativos de Iluminação pública até o momento, passará para responsabilidade do município todos os ativos referentes a iluminação pública que terá a responsabilidade da manutenção dos mesmos.

Segundo informações do setor financeiro da prefeitura Municipal de Cataguases, já existe conta específica no orçamento de 2015 para realizar tal serviço com estimativa de R$ 2.524.000,00 para o ano que vem, dos quais cerca de R$ 500 mil seriam destinados para o serviço, mas o valor ainda pode variar, de acordo com o que for apurado na licitação.

O procurador Rafael Vieira, disse por telefone a nossa reportagem, que o Município deverá realizar a licitação, porém, não descarta uma nova prorrogação por parte do Governo Federal. "Existe a vontade (por parte das prefeituras) de que o Governo Federal prorrogue o prazo mais uma vez, mas de antemão, o município já vem trabalhando no sentido de realizar a licitação [...] o ideal seria que a licitação saísse antes deste prazo, mas existe algumas questões de ordem técnica que a gente vai ter que ver, como quantidade de pontos de iluminação, cotação de preço de mercado, entre outras coisas. A gente tem de dar um prazo para que a empresa apresente o orçamento, porque tem empresa que não é de Cataguases". Segundo o procurador, a tendência é de que o edital seja publicado antes do prazo e que caso o governo não prorrogue, ele considera que a data limite seria 1º de dezembro. "Pode acontecer que o Governo Federal prorrogue este prazo, através da ANEEL, então a Prefeitura de Cataguases não pode agir de forma temerária e já abrir um certame sem saber se o Governo Federal vai prorrogar ou não este prazo, a gente também tem de aguardar esta segunda opção para poder fazer um trabalho com mais calma, pra gente poder se cercar de eventuais situações que pode aparecer e dificultar o serviço ou fazer uma contratação de um serviço que fique um pouco mais caro para a administração"

Entrevista com prefeito Cesinha

O prefeito Cesinha Samor, falou com exclusividade para o Site Mídia Mineira sobre o assunto (confira vídeo abaixo) e disse que está participando de reuniões com outros municípios no sentido de criar um consórcio a fim de baratear o custo para as prefeituras. Ele também não descartou a terceirização direta pela Prefeitura de Cataguases. "Nós podemos acompanhar as outras prefeituras no assunto, porque aqui em Cataguases por exemplo, nós temos a própria concessionária, a Energisa e temos duas empreiteiras fortíssimas que podem até assumir este serviço, só que para assumir, tem de ser licitado. Nós já estamos em várias reuniões para ver o que será mais barato para a prefeitura".

O prefeito também garantiu que não haverá aumento na taxa de iluminação pública e que talvez, a taxa poderá até diminuir.

Cesinha disse que já fez mais de 3 reuniões com a Energisa e que caso não dê tempo, poderá fazer um decreto de emergência para continuar com o serviço.

Perguntado se não criaria uma autarquia para administrar o setor, uma vez que na época da eleição falava-se a mesma coisa em relação a taxa de esgoto, o prefeito respondeu "Enquanto eu for prefeito, não tem autarquia pra isso".

Ele aproveitou também para reiterar sua posição em relação ao contrato com a Copasa e disse que o serviço de esgotamento é essencial mas que ainda está na justiça a questão da taxa cobrada pela mesma, a qual considera muito alta e que o Ministério Público também está revendo a questão.

Sobre o valor que pretende pagar pelo serviço, o prefeito disse que estará tentando pagar menos.

Nota Energisa

A Energisa também nos enviou nota sobre o assunto, através da Assessoria de Comunicação onde confirma que tem realizado várias reuniões com os municípios. Confira abaixo a nota na íntegra:
"A resolução 414 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que define um novo modelo de gestão da iluminação pública em todo o país, entra em vigor em janeiro de 2015. Desta forma, as concessionárias de energia vão transferir para as prefeituras a responsabilidade sobre os ativos de Iluminação Pública como lâmpadas, luminárias, relé/contatores, reator, braço e acessórios.
Ou seja, a responsabilidade pela manutenção da iluminação pública será do município. Isso inclui a substituição de lâmpadas apagadas ou a verificação de lâmpadas acesas durante o dia.
Em função do cumprimento desta resolução, a Energisa está realizando uma série de reuniões com os municípios, incluindo Cataguases, para reforçar como será o novo processo e esclarecer alguma dúvida, se houver. O objetivo principal é reforçar às prefeituras de que elas precisarão assumir o serviço de iluminação pública, já que a partir do dia 1º de janeiro, as distribuidoras de energia elétrica ficam impedidas de atuar na prestação deste serviço.
Sobre o fornecimento de energia, a Energisa estará sempre pronta a atender aos seus clientes.
Vídeo da entrevista com o prefeito Cesinha:

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Farmácias de Plantão em Cataguases
27 Domingo
28 Segunda
29 Terça
30 Quarta
01 Quinta
02 Sexta
03 Sábado
Droga Minas Coimbra Econômica
Pague Menos Aeropharma Drogaria da vila