quinta-feira, 5 de março de 2015

Município de Cataguases terminou 2014 com Restos a Pagar superior a R$ 10 milhões

Com inicio às 17 horas, foi apresentado antes da sessão desta terça-feira (3), na Câmara Municipal de Cataguases, o Relatório de Gestão Fiscal do 3º Quadrimestre de 2014 pela Prefeitura Municipal de Cataguases, através da Secretaria Municipal de Fazenda, representada pelo secretário Paulo Sérgio Ferreira de Souza (Paulete) e uma equipe composta pelo economista Mauro Fachini Gomes e o Consultor Financeiro Eduardo Martins de Moraes.

O relatório é uma exigência da Lei Complementar nº 101/2000 (Lei de Responsabilidade Fiscal), que em seu artigo 9º, parágrafo 4º, onde determina que "Até o final dos meses de maio, setembro e fevereiro, o Poder Executivo demonstrará e avaliará o cumprimento das metas fiscais de cada quadrimestre, em audiência pública na comissão referida no § 1o do art. 166 da Constituição ou equivalente nas Casas Legislativas estaduais e municipais".

Todo relatório, foi apresentado pelo economista Mauro Fachini que demonstrou que no ano de 2014, a arrecadação real da prefeitura (R$ 106.282.355,98) foi menor que a prevista (R$ 107.389.831,20) e isso se deve principalmente a um valor arrecadado das receitas de capital (Convênios, Alienação de Ativos e Operações de Crédito), ter sido bem menor que o previsto que era de R$ 4.754.756,06 contra apenas R$ 452.546,76 arrecadado.

Embora as Receitas tenham sido menor que o previsto, as Despesas também foram menores, R$ 106.784.571,09 empenhadas contra R$ 107389831,20 prevista.

Resultados

(Clique para ampliar)
O Resultado Nominal que reflete o endividamento do Município, ou seja, as dívidas a longo prazo, reduziu em 2014 em R$ 995.992,03, essa redução, reflete o pagamento da Dívida Fundada que em 2013 era de R$ 8.071.798,55 e em 2014, passou para R$ 7.075.806,52. Curiosamente, a Dívida Fundada reduziu menos de 2013 para 2014, do que de 2012 para 2013 que obteve um Resultado Nominal de R$ 1.197.597,80. O economista Mauro Fachini, revelou ainda que existem parcelamentos como o da Copasa que está previsto para terminar somente no ano de 2041.

Quanto ao Resultado Primário, que indica se os níveis de gastos orçamentários são compatíveis com a arrecadação do município, ou seja, se as Receitas do Município de Cataguases são suficientes para suportar as Despesas, o relatório mostrou que houve um endividamento em 2014 para 2015 de R$ 1.712.950,70.

Restos a Pagar:

(Clique para ampliar)
O principal debate da apresentação, ficou por conta dos Restos a Pagar (despesas empenhadas, mas não pagas até o dia 31 de dezembro), que conforme a Lei de Responsabilidade Fiscal, não podem ser passados de um gestor para o outro. 

Em 2014, a Prefeitura de Cataguases, computou Restos a Pagar total de R$ 10.453.780,00. Deve-se separar no entanto, o Restos a Pagar Processado (despesas inscritas em restos a pagar, liquidadas e não pagas) do Não processados (despesas empenhadas e não liquidadas), sendo que esta última, pode não se materializar em despesa. Com relação aos Restos a Pagar Processado, o valor segundo o relatório, ficou em R$ 9.231.071,92 e já foram reduzidos no início do ano conforme explicou o economista, alem de mais R$ 701.279,28 do exercício de 2013 que ainda não foram pagos. Os não processados ficaram em: R$ 1222708,08. A insuficiência financeira total, ficou em R$ 4.726.366,13.

O vereador José Augusto Guerreiro Titoneli, questionou porque no Portal da transparência, o valor que aparece está maior que o apresentado (mais de R$ 11 milhões), uma vez que o mesmo apresenta dados oficiais. A explicação segundo Alex Carvalho, assessor do prefeito Cesinha foi que a alimentação do sistema está passando por troca de funcionário e que pode não ter sido alimentado todos os dados ainda.

Despesas por função:

(Clique para ampliar)
Outro ponto que chamou a atenção dos vereadores, foi o valor das Despesas com cada função da prefeitura, o que demonstrou que as Secretarias de Saúde, Educação e Administração são as que possuem maiores despesas, R$ 40.826.437,15, R$ 28.175.043,59 e 20.032.369,04 respectivamente. Já as que tiveram as menores despesas, foram Trabalho com R$ 834,54, Indústria com R$ 2.400,00 e Saneamento com R$ 172.188,17. O valor das despesas com as funções de trabalho e industria, chamou a atenção especialmente do vereador Vinícius Machado que questionou ao Secretário, que se ateve aos números, por não fazer parte de sua secretaria.

O vereador Walmir Linhares, disse que deverá convocar o Secretário de Planejamento para esclarecer as questões que ficaram em abertas.

Por último, o vereador Titoneli destacou 3 frases: "Cataguases tem de voltar ao que era antes" do Secretário Paulo Sérgio Ferreira de Souza, "Cataguases não pode continuar da forma que esta" e "não vejo nada acontecer" ambas do vereador Fernando Amaral e disse que até pode não ser crime deixar Restos a Pagar de um ano para o outro, mas que os vereadores não sabem quem estará na próxima legislatura para julgar as contas finais do prefeito e que os vereadores não podem se omitir hoje. Ele destacou também, a Folha de Pagamento que terminou 2014 com um percentual de 49,9% das Receitas e pediu para registrar na ata que não ficou satisfeito com a prestação de contas.

Em entrevista exclusiva para o Site Mídia Mineira, o economista Mauro Fachini disse que embora os Restos a Pagar tenham aumentado de 2013 para 2014, o importante não é o valor dos Restos a Pagar e sim o caixa que o Município terá para pagar esse valor. "Se você deixar um Restos a Pagar de R$ 10 milhões, mas tiver suficiente caixa de R$ 10 milhões, na verdade você não está cometendo crime nenhum, porque os Restos a Pagar que você está deixando, você tem caixa pra pagar no mês de janeiro, agora se você deixar um Restos a Pagar de R$ 5 milhões e não tiver nenhum caixa, ai sim. É melhor você deixar um Restos a Pagar de R$ 10 milhões com dinheiro em caixa do que um de R$ 5 milhões sem dinheiro nenhum". Ele também disse que dos R$ 9 milhões de Restos a Pagar processados, cerca de R$ 7 milhões já foram pagos. Perguntado sobre os investimentos na saúde e educação, que superaram o obrigatório por Lei, 28,08% contra 25% obrigatórios na Educação e 20,22% contra 15% obrigatórios na saúde, ele não soube responder se o valor correspondia a Folha de Pagamento ou em investimentos reais na área.

Visualize o Resumo do relatório completo clicando aqui (arquivo em PDF).


Nenhum comentário :

Postar um comentário

Farmácias de Plantão em Cataguases
27 Domingo
28 Segunda
29 Terça
30 Quarta
01 Quinta
02 Sexta
03 Sábado
Droga Minas Coimbra Econômica
Pague Menos Aeropharma Drogaria da vila