segunda-feira, 29 de junho de 2015

Medida Provisória prejudica setor de ferroligas e silício metálico em Minas Gerais

A edição da Medida Provisória (MP) 677 de 2015, que renova contratos de compra de energia das empresas que usam muito energia elétrica, chamadas de eletrointensivas, da região Nordeste e cria o Fundo de Energia do Nordeste (FNE), trouxe problema para empresas mineiras do setor de ferroligas e silício metálico que já tiveram queda de 80% na produção, devido o alto custo do MWh oferecido em Minas, contra o que outras empresas encontram no nordeste, cerca de 3 vezes menos.

O desequilibro do mercado, pode ocasionar mais demissões e até fechamento de empresas do setor no estado. Até o momento, mais de 3 mil pessoas já foram demitidas.

A MP 667 prorroga os contratos com a Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) até 2037. O Fundo de Energia do Nordeste deve permitir a aplicação de R$ 13 bilhões de reais para a geração e transmissão de energia elétrica no país, dos quais, no mínimo, 50% vão ser na região Nordeste. A medida, favorece o setor de indústrias eletrointensivas do Nordeste e se não fosse prorrogado, o contrato terminaria amanhã, 30 de junho.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Whatsapp Mídia Mineira
Farmácias de Plantão em Cataguases
19 - Domingo 20 - Segunda 21 - Terça 22 - Quarta 23 - Quinta 24 - Sexta 25 - Sábado
Coimbra Econômica FarmaCenter Cataguases II Droganova São Francisco N. Sra. Aparecida
Aeropharma Drogaria da Vila N. Sra. Rosário Silveira Farmanossa Cataguases Campinho