terça-feira, 11 de agosto de 2015

Justiça determina que Município de Ubá terá 180 dias para implantar tratamento de esgoto

O município de Ubá, na Zona da Mata mineira, tem 180 dias para implantar o seu sistema de tratamento de esgoto. O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), por meio da Promotoria de Justiça da Comarca de Ubá e da Coordenadoria Regional das Promotorias de Justiça de Meio Ambiente da Bacia do Paraíba do Sul, ajuizou Ação Civil Pública (ACP) com o objetivo de impor ao município de Ubá essa obrigação e obteve o provimento do pedido de liminar formulado à Justiça.

Foto: Martim Barbosa / Câmara Municipal de Ubá
Conforme apurado pelo MPMG em Inquérito Civil, os efluentes sanitários coletados das residências e de diversos estabelecimentos comerciais e industriais do município vêm sendo lançados diretamente no curso d’água sem qualquer tratamento prévio. Os promotores de Justiça Bruno Fernando Torres Lana e Bruno Guerra de Oliveira apontam na ACP que a omissão da administração municipal vem causando sérios prejuízos ao meio ambiente e à saúde da população.

Segundo Nota Técnica elaborada durante as apurações, qualquer lançamento de esgoto sanitário sem prévio tratamento em curso d’água é considerado uma fonte de poluição e degradação ao meio ambiente. O documento esclarece que a prática é motivo de preocupação por expor a população a risco de contaminação por doenças, como febres tifóides, desinteria, cólera, esquistossomose e hepatite. Além disso, conforme a nota, todo equilíbrio ecológico do curso d’água pode ficar comprometido, resultando na degeneração gradativa da fauna e da flora do ambiente aquático.

Na ACP, o Ministério Público destacou ainda que a administração pública municipal reconhece a existência do problema, havendo, inclusive, manifestado, em 2008, em documento anexado ao processo, que “o tratamento de esgoto não é mais uma opção, tampouco uma bandeira a ser destacada por qualquer administração pública: é uma imposição legal e um direito dos cidadãos. Ubá não tem apenas o interesse de tratar o seu esgoto, mas sim obrigação de fazê-lo”.

No entanto, de acordo com os promotores de Justiça, mesmo ciente da questão, a sua solução vem sendo postergada por anos pelo município, o que levou ao ajuizamento da ACP.

Decisão
Ao deferir o pedido de liminar, a juíza de Direito da 2ª Vara Cível da Comarca de Ubá, Cínthia Faria Honório Delgado, rechaçou as alegações de insuficiência de tempo e de falta de recursos para o cumprimento da obrigação, uma vez que, segundo a magistrada, desde 2007, quando foi aprovada lei que estabeleceu as diretrizes nacionais para o saneamento básico, o município tem ciência da obrigatoriedade de instalar o sistema de tratamento de esgoto na cidade.

“Até o momento, mesmo tendo transcorrido quase oito anos, nada foi providenciado, sendo certo que o município tem ciência do Inquérito Civil que ampara a ação, mas se manteve inerte durante longos anos”, afirma a juíza. Para ela, os diversos problemas enfrentados pela municipalidade, como a falta de água, são agravados pela poluição dos rios.
Fonte: MPMG
Confira abaixo áudio do MPMG:

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Farmácias de Plantão em Cataguases
21 Domingo
22 Segunda
23 Terça
24 Quarta
25 Quinta
26 Sexta
27 Sábado
Atlas Sta Rita Dose certa Inova Econômica III Droga Minas Coimbra
Vasconcelos Saúde e Vida Drogasil Droga Farma Farmanossa Pague Menos Aeropharma