quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Mãe vai a Câmara para reclamar da Secretaria de Saúde de Cataguases

A Sra Josineide Santos, compareceu a reunião da Câmara de Cataguases, na noite desta terça-feira (11), como convidada, para reclamar da Secretaria de Saúde. Segundo ela, seu filho de 8 anos de idade, sofre de sérios problemas de saúde desde que nasceu e realizou uma cirurgia de bexiga que não deu certo. No dia 24 de julho, o menino passou mal e como ela paga um plano de saúde para ele, foi atendida pelo plano no pronto socorro. No entanto, o cirurgião disse que o mesmo deveria ser transferido com urgência para Juiz de Fora e ela entrou em contato com o TFD da Secretaria de saúde, onde a funcionária lhe explicou que somente o secretário poderia liberar o transporte, porque ela havia sido atendida por plano particular.

Em contato com o Secretário de saúde, conforme narrou a convidada, o mesmo se recusou a ajudá-la, dizendo que não poderia fazer nada dizendo:  "Não tenho nada a ver com seus problemas"  e que mesmo ela alegando que iria procurar seus direitos, o secretário falou que ela poderia procurar quem quisesse. Conforme as palavras de Josineide, ela ainda teria perguntado ao secretário se ele não seria um ser humano e se seu filho não era um cidadão de Cataguases, mas que o secretário teria dito para ela procurar o plano de saúde.  Segundo ela, seu filho já sofre há 8 anos, sendo atendido pelo SUS  e conhecido por eles e que paga o plano há apenas 2 anos, devido a necessidade. 

Como não conseguiu o transporte, Josineide contou ainda que tentou tirar seu filho do Hospital de Cataguases mas que não deixaram e que chegaram a chamar a polícia e o conselho tutelar, sendo que este último ficou ao seu lado.
Conforme as palavras da convidada, o Secretário de Saúde, teria negado o transporte, alegando que a Lei o proibia de transportar usuários de planos particulares e que por esse motivo ela não teria o direito de usar o SUS, mas não mostrou qual era a lei. Após muita insistência, Josineide contou que o secretário teria concordado em “liberar um carro qualquer”.

Por fim, Josineide solicitou aos vereadores que olhassem não apenas como vereadores, mas como pais, porque sabe que não é a primeira vez e nem a última vez que isso irá acontecer.

Alguns vereadores, manifestaram a indignação com o fato, como o vereador Walmir Linhares que lamentou: "Estes senhores estão trabalhando de forma equivocada, de madrugada eu estou sendo acordado em minha casa por procedimentos errados desta natureza. Nós não podemos admitir uma situação dessa no município de Cataguases, esses senhores estão achando que são donos da situação, eles estão sendo pagos e muito bem pagos para trabalhar para o povo e deixar uma senhora em um hospital de Juiz de Fora na situação que deixaram essa senhora é inaceitável" disse.

Também, o vereador  Fernando Pacheco, se mostrou bastante chocado com a fala da convidada dizendo que já foi secretário de Saúde por 2 anos e que em nenhum momento, ela teria agido errado, que pela fala dela, entendeu que quem agiu errado foi o secretário de saúde, que é o responsável pelo SUS dentro da cidade. "O SUS é universal e integral e um dos princípios maiores do Sistema Único de Saúde é a equidade e o que aconteceu com a senhora foi uma iniquidade, uma ausência de equidade, uma injustiça. Não interessa se o dinheiro na saúde não é colocado [...] em momento nenhum houve erro seu ou de sua família e a todo momento pelo que eu ouvi, só vejo erro da secretaria da saúde, porque ela tinha de ter dado toda cobertura [...] e não interessa se a pessoa tem plano de saúde ou não" disse o vereador que se revelou assustado, atônito e passado com as declarações da convidada e pediu para as comissões da Câmara averiguarem o fato que não deve passar em branco.

Walmir ainda lembrou que o mesmo secretário que negou transporte para o filho de Josineide foi acusado na Câmara por utilizar um funcionário da secretaria de saúde como motorista e um fisioterapeuta do PSF para fazer um curso no Rio de Janeiro para cuidar de seu filho.

O vereador Michelangelo Correa, que é relator da CEI da Saúde, disse que a comissão irá arrolá-la como testemunha.

Secretaria de Saúde

O Site Mídia Mineira, entrou em contato com o secretário de saúde, Geraldo Leite Antonucci, na manhã desta quarta-feira (12), onde o mesmo negou ter faltado com educação com a Sra. Josineide e disse que ela queria transferir o filho, sem o pedido do médico e sem a verificação de vagas no hospital, para determinar a logística que seria necessária.  O secretário disse que não está autorizado a transferir nenhum paciente sem o pedido de um médico do SUS, porque existe inclusive uma fiscalização neste sentido. “Ela queria que eu transferisse o paciente sem ter o pedido do médico, sem o hospital ter a vaga, sem o médico falar se deveria ser em carro ou ambulância, como que eu vou transferir um paciente nas mínimas condições sem ter  isso tudo na minha frente? Resultado, eu liguei para o hospital, o hospital acatou o paciente, foi para atendimento, internou o paciente, o médico pediu a transferência dele pela Unimed e o SAMU que levou. Primeiro, eu não sou médico e segundo, eu não podia transferir um paciente sem saber qual seria a logística, depois é que o hospital internou, depois que o médico viu e pediu a logística pelo SAMU. Se transfere em uma ambulância comum e acontece alguma coisa, quem é culpado? O Secretário de Saúde. Ela falou alguma coisa que ela não tem entendimento ou alguém informou errado para ela” disse.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Farmácias de Plantão em Cataguases
27 Domingo
28 Segunda
29 Terça
30 Quarta
01 Quinta
02 Sexta
03 Sábado
Droga Minas Coimbra Econômica
Pague Menos Aeropharma Drogaria da vila