sábado, 12 de setembro de 2015

Festa cívica marca solenidade de entrega da Medalha JK em Diamantina

Fotos 1 e 2: Marcelo Sant’Anna e foto 3: Verônica Manevy / Imprensa MG

Uma festa cívica marcou a solenidade de entrega da Medalha JK, neste sábado (12/9), na histórica cidade de Diamantina, no Vale do Jequitinhonha. Agraciados exaltaram o legado do ex-presidente e ex-governador Juscelino Kubitschek, o JK. Após receber a Medalha de Honra, a integrante da comunidade quilombola Mata dos Crioulos, localizada na Serra do Espinhaço, em Diamantina, Jovita Maria Gomes Corrêa, se disse emocionada. “É a primeira vez que recebo uma medalha do Estado. Fiquei muito feliz em saber que a nossa luta está sendo recompensada”, afirmou. O professor e escritor Jacinto Guerra, autor de dois livros sobre a vida e o legado de Juscelino, também se disse lisonjeado por receber a Medalha de Honra. “É uma emoção muito grande estar na terra de JK. Me sinto honrado”, afirmou o escritor.

Condecorado com a Medalha de Honra, o desembargador Pedro Aleixo Neto, do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), falou sobre a importância da homenagem. “É  uma grande honra. O governador Fernando Pimentel está realizando uma excepcional administração. Eu me sinto muito prestigiado por mais esta honraria. Tenho apenas palavras de agradecimento”, disse. O superintendente Regional da Polícia Federal em Minas Gerais, Sérgio Barboza Menezes, também falou sobre o privilégio de receber a Medalha de Honra. “É uma grande alegria, como superintendente da Polícia Federal, ter o reconhecimento do nosso trabalho dedicado a Minas Gerais. Estamos muito felizes por estarmos na terra de JK”, enalteceu.

Os moradores de Diamanatina também enalteceram o legado de Juscelino. “Essa é uma festa de todo o Estado mas, principalmente, do povo diamantinense. É preciso preservar a memória e os ideais de Juscelino”, afirmou o aposentado José Eustáquio Freire da Silva, de 73 anos. Para a dona de casa Maria do Anjos Santos Barbosa, de 56 anos, Juscelino “representa os sentimentos de mineiridade e de brasilidade. JK é filho da nossa terra, merece todas as reverências”, disse.

Sentimento de brasilidade

Foto: Verônica Manevy / Imprensa MG
A visão de futuro e a dedicação de Juscelino Kubistchek a Minas Gerais e ao Brasil foram lembrados também pelo prefeito de Diamantina, Paulo Célio de Almeida Hugo (PSDB). “Deixemos infundir em todos nós o sentimento de brasilidade, pois o país esta acima de todos. Cultivemos a credibilidade, sejamos otimistas, exercitemos a construção da confiança e da credibilidade”, disse o prefeito. A Medalha JK foi criada pela Lei nº 11.902, de 1995, sendo entregue pela primeira vez em 1996. A cerimônia é realizada anualmente, no dia do aniversário do ex-presidente, nascido em 1902 – há 113 anos.

Foto: Verônica Manevy / Imprensa MG
A honraria é dividida nos graus “Grande Medalha” e “Medalha de Honra”. Entre os condecorados estão personalidades e instituições do cenário político, econômico, social e cultural do Estado e do país. Nesta edição, 86 pessoas e instituições foram agraciadas. Após a abertura do evento, com as honras militares e a execução do Hino Nacional, apresentado pelo Grupo Arte Miúda de Diamantina, o governador conduziu a entrega das medalhas e, em seguida, acompanhou o desfile da Guarda de Honra. A solenidade – que neste ano teve com orador oficial o presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Adalclever Lopes – encerra as comemorações da Semana JK.

Pimentel defende democracia durante entrega da Medalha JK

Governador criticou, em evento em Diamantina, aqueles que “disseminam o ódio e a intolerância” na vida social

Foto: Manoel Marques / Imprensa MG
O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, defendeu a democracia, a consciência cívica e a preservação das instituições republicanas em discurso neste sábado (12/9), em Diamantina, Vale do Jequitinhonha, durante a entrega da medalha JK. Pimentel também criticou aqueles que “flertam com o autoritarismo” e ressaltou a inspiração do ex-presidente Juscelino Kubitschek no empenho da nova gestão estadual para superar as dificuldades.

“Quem reflete sobre as lições do passado pode evitar a repetição de erros no presente. A intolerância que vitimou JK, as injustiças contra ele cometidas, o exemplo da busca permanente pela paz, da conciliação, do diálogo, hão de servir de alerta contra aqueles que pregam a ruptura da ordem democrática, flertam com o autoritarismo e disseminam o ódio e a intolerância na vida social”, discursou o governador.

Para Pimentel, Minas Gerais segue o caminho correto na defesa da democracia. “Minas Gerais, ao contrário, serena e altaneira, consagra a defesa da causa da liberdade republicana e evoca a legenda sempre viva do quilombola Isidoro, aqui de Diamantina, e o inconfidente Padre Rolim, também diamantinense, e do nosso eterno presidente Juscelino Kubitschek”, afirmou.

A inspiração de JK, segundo Pimentel, “é uma referência de fortíssima atualidade” e demonstra a importância da consciência cívica. “A vida desse mineiro, ilustre e admirado, nos lembra que os trechos difíceis da história são justamente os que pedem aos cidadãos e cidadãs maior solidariedade e participação, mais lucidez e mais serenidade para resolver os problemas da economia. Encravados por entre os inúmeros desafios que o mundo hoje enfrenta, o Brasil deve buscar ânimo na resistência e na perseverança de Juscelino”, declarou.

Ao presidir a entrega de medalhas a 86 agraciados que contribuem para o desenvolvimento do Estado, Pimentel afirmou que, somente com trabalho e união de esforços, será possível recolocar Minas Gerais e o pais nos rumos do crescimento econômico e social. “Confiamos em dias melhores. Esses dias nascerão do empenho dos brasileiros na construção dos fatores positivos do desenvolvimento. E, em Minas Gerais, estamos dando nossa contribuição ao enfrentarmos uma herança pesada de dívidas, desajustes e desequilíbrios na condução do Estado”, assegurou.

Presidente da Assembleia Legislativa destaca harmonia entre Poderes em Minas Gerais

Orador oficial da Medalha JK, Adalclever Lopes afirma que o Estado dá exemplo de entendimento ao Brasil

Foto: Manoel Marques / Imprensa MG
Orador oficial da 20ª cerimônia de entrega da Medalha JK, realizada neste sábado (12/9), em Diamantina, Vale do Jequitinhonha, o presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Adalclever Lopes (PMDB), destacou a harmonia entre os três Poderes em Minas Gerais. De acordo com o deputado estadual, que recebeu a Grande Medalha, o Estado é referência nacional de trabalho e parceria entre os Poderes e exemplo para o Brasil.

“Minas Gerais tem vivido um momento excepcional de harmonia entre os Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário, dando um exemplo tão necessário da busca e da prática do entendimento em função do bem comum”, observou. Lembrando a memória do ex-presidente e ex-governador Juscelino Kubitschek, mineiro de Diamantina, Adalclever Lopes afirmou que é preciso resgatar a “lição de entendimento e consenso” de JK para recuperar o crescimento econômico e o otimismo do povo brasileiro.

“Nesta etapa difícil de nossa história, para que possamos retomar a rota do crescimento, precisamos, urgentemente, observar a lição de Kubitschek. Precisamos, mais do que nunca, da autoestima que este excepcional mineiro trouxe para que o mundo de então deixasse de nos olhar apenas como o país do futuro. Com otimismo, JK construía o futuro e o presente da nação. É esse sentimento que precisamos resgatar”, acrescentou o orador.

O governador Fernando Pimentel, durante seu pronunciamento, também ressaltou o bom relacionamento entre esses Poderes em Minas Gerais e agradeceu aos presidentes da Assembleia e do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), Pedro Bitencourt, pela parceria com o Executivo mineiro. “A harmonia no relacionamento entre os poderes assegura as repostas afirmativas que oferecemos aos desafios desta hora. O Legislativo, Judiciário e Executivo em Minas procuram cumprir o seu papel em plena sintonia com esta realidade, buscando convergência e resultados transformadores”, afirmou.

Legado de JK

Ao citar a trajetória política de JK,  Adalclever Lopes ressaltou a vocação do ex-presidente da República para integrar o país. Enquanto prefeito de Belo Horizonte, Juscelino “trouxe a cidade dos tempos ecléticos e positivistas de Aarão Reis para a modernidade, em uma ação aberta ao cosmopolitismo e ao progresso”.

 Ainda segundo Lopes, ao governar Minas Gerais, JK centrou sua administração na energia elétrica e na abertura de estradas.  Ao idealizar a cidade de Brasília como capital federal, disse o deputado, JK deslocou o Brasil “do litoral para o centro, ganhando um coração e se articulando com mais equilíbrio em um corpo único”.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Farmácias de Plantão em Cataguases
27 Domingo
28 Segunda
29 Terça
30 Quarta
01 Quinta
02 Sexta
03 Sábado
Droga Minas Coimbra Econômica
Pague Menos Aeropharma Drogaria da vila