quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Dia Internacional do Idoso: O Brasil de 2050 terá 3 idosos a cada 10 habitantes

A cada segundo, duas pessoas comemoram 60 anos de idade. Cerca de 900 milhões de idosos estão espalhados pelo mundo atualmente, sendo 26 milhões no Brasil. E a população está envelhecendo rapidamente.

Segundo as projeções estatísticas da Organização Mundial da Saúde (OMS), o período de 1975 a 2025 será a era do envelhecimento – a população de idosos no país crescerá 16 vezes –, colocando o Brasil, em termos absolutos, como a sexta população de idosos do mundo, ou seja, mais de 32 milhões de pessoas com 60 anos ou mais. Paralela a essa transição demográfica, ocorreu uma importante transformação do perfil das doenças na população, cujas doenças próprias do envelhecimento, que costumam ser crônicas e múltiplas, ganharam maior expressão no conjunto da sociedade.

A ONU estima que, em 2050 mais de 2 bilhões de pessoas terão 60 anos ou mais. A cada dez pessoas, duas serão idosas. No Brasil, a proporção será ainda maior: três idosos em cada grupo de dez pessoas.

Primeiro de outubro é o Dia Internacional do Idoso. A data foi instituída pelas Nações Unidas, em 1999. O assessor do Fundo de População da ONU no Brasil, Vinícius Monteiro, destaca que o envelhecimento é positivo e deve ser acompanhando de garantia de direitos.

O Estatuto do Idoso, instituído há doze anos, determina que é obrigação da família, da sociedade e do Poder Público assegurar ao idoso, com absoluta prioridade, os direitos à vida, à saúde, à cultura, ao esporte, ao lazer, ao trabalho e ao respeito. Para o aposentado Salviano da Conceição, de 72 anos, o problema é garantir esses direitos.

Algumas vezes é mais fácil encontrar a felicidade na convivência com outros idosos.

Em relação ao Estado, é preciso oferecer políticas públicas eficientes, já que é uma camada da população que aumenta a cada ano. 

Cuidados com a saúde

É necessário que as pessoas aprendam a envelhecer com saúde tomando alguns cuidados.
  • Deve-se realizar caminhadas, exercícios leves e bons hábitos de sono;
  • Estabelecer um horário para levantar-se e deitar-se;
  • Dormir de 6 a 8 horas por noite;
  • Exercitar-se 30 minutos por dia, 3 vezes por semana;
  • Ir a lugares a pé, sempre que possível;
  • Manter uma alimentação saudável, nutrição e hidratação adequadas;
  • Manter uma boa higiene corporal, dos alimentos, da habitação e do meio ambiente;
  • Incluir nas refeições alimentos ricos em fibras;
  • Reduzir o consumo de doces e outros alimentos ricos em açúcar;
  • Reduzir o consumo de sal e temperos industrializados;
  • Preparar pratos coloridos.Alimentos variados garantem a oferta de nutrientes diferentes;
  • Consumir água ao longo do dia, entre as refeições;
  • Procurar ingerir frutas e verduras em cinco ou mais porções por dia;
  • Dê preferência a carnes cozidas, grelhadas e assadas;
  • Aprecie sua refeição e coma devagar. Faça das refeições um ponto de encontro da família;
  • Previná-se das doenças;
  • Faça controle freqüente do peso, da pressão arterial e da glicose;
  • Controle o estresse, o cansaço e mantenha o bom humor;
  • Evite o sol entre 10h e 16h;
  • Evite o uso contínuo de sedativos;
  • Use somente medicamentos prescritos pelo seu médico;
  • Não interrompa tratamento de uso contínuo por conta própria;
  • Participe de atividades sociais que lhe dêem satisfação, tais como festas, jogos e viagens.

Número de idosos endividados cresce 8% em agosto, diz SPC

O número de consumidores entre 65 e 94 anos com dívidas atrasadas aumentou 8,56% em agosto de 2015, em relação ao mesmo mês do ano passado. A média nacional, considerando as demais faixas etárias, foi de elevação de 4,86%, no mês de agosto. No acumulado do ano, de janeiro a agosto de 2015, o número de devedores idosos avançou 6,88%, ao passo que o total avançou 5,88%.

“A grande maioria dos idosos chega à terceira idade dependendo apenas da previdência social, em razão da baixa renda e, em muitos casos, da falta de planejamento para a velhice. Como reflexo disso, a inadimplência entre consumidores idosos avança a taxas acima da média ao longo dos últimos anos”, disse a economista-chefe do Departamento Econômico do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), Marcela Kawauti.

Em agosto, o setor de água e luz liderou o avanço da inadimplência entre os idosos, com alta de 17,08% no número de dívidas atrasadas, na comparação com mesmo mês do ano passado. As dívidas em atraso com bancos apresentaram o segundo maior aumento, de 14,42%.

Os bancos permanecem, no entanto, como os maiores credores: metade das dívidas (47,26%) em atraso dos idosos são feitas com instituições financeiras. Em seguida, aparece o setor de água e luz (17,05%). Quando consideramos todas as faixas etárias, os bancos também são o setor credor da maior parte das dívidas. No entanto, o segundo maior é o comércio, com 19,87%.

Dados do IBGE mostram que, nos últimos 15 anos, a quantidade de pessoas na faixa de 65 a 94 anos passou de 5,61% para 7,90% da população brasileira.

Fontes: EBC / Agência Minas
Imagens: 1 - http://www.tremembe.sp.gov.br/
2 - http://www.vozdoaposentado.org.br/

Farmácias de Plantão em Cataguases
27 Domingo
28 Segunda
29 Terça
30 Quarta
01 Quinta
02 Sexta
03 Sábado
Droga Minas Coimbra Econômica
Pague Menos Aeropharma Drogaria da vila