domingo, 11 de outubro de 2015

Sistema vai ajudar a monitorar o uso de água em Minas Gerais

Resolução padroniza procedimentos para que usuários com outorga para exploração dos recursos hídricos forneçam dados como captação e vazão

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) e o Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) construíram, de forma conjunta, uma resolução para padronizar procedimentos de controle de uso da água no estado. O documento, publicado no Diário Oficial Minas Gerais em 5 de outubro, estabelece critérios para que seja possível medir e monitorar todas as intervenções em recursos hídricos e, consequentemente, se adotar medidas de controle em todo o território mineiro.

"A água é insumo essencial em diversos processos produtivos", destaca o gerente de Pesquisa e Desenvolvimento de Recursos Hídricos da Semad, Thiago Santana. "O conhecimento real de água demandada no empreendimento permite, além de contribuir para a gestão de demanda de insumos, a classificação de ordem de usos, em aspectos quantitativos e qualitativos, direcionando o empreendedor à implantação de ações de racionalidade e reuso da água", completa.

Funcionamento

Pela resolução, explica o gerente, agora todos os usuários outorgados (com autorização para utilização dos recursos hídricos) deverão implantar o sistema de medição e horímetro, assim como armazenar todos os dados referentes a captação, vazão e tempo de uso em formato de planilha.

A implantação será obrigatória para captações de águas superficiais superiores a 10 litros por segundo e também em poços tubulares, sem distinção de vazão de captação. O sistema, respaldado pela Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) expedida pelo Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Crea), deverá ser instalado próximo ao local de captação ou derivação. O sistema também vai permitir que, no local, o fiscal verifique se o usuário está respeitando o limite estabelecido na portaria de outorga.

"Estes dados deverão ser apresentados à autoridade outorgante no momento da renovação da regularização do uso de recursos hídricos, por meio físico e digital, bem como quando solicitados por órgão integrante do Sistema Estadual de Meio Ambiente (Sisema), ou entidade por ele delegada", sinaliza Santana.

A fiscalização de usos da água é de competência da Semad, por meio da subsecretaria de Controle e Fiscalização Ambiental Integrada (Sucfis). Com os mecanismos estabelecidos, a secretaria acredita que o órgão outorgante vai conseguir acompanhar em detalhes a vazão captada, seja quando solicitado o envio ao órgão, seja no caso da fiscalização. A medida é mais um avanço do Governo de Minas Gerais na melhor gestão dos recursos hídricos no estado.

Fonte: Agência Minas

Farmácias de Plantão em Cataguases
27 Domingo
28 Segunda
29 Terça
30 Quarta
01 Quinta
02 Sexta
03 Sábado
Droga Minas Coimbra Econômica
Pague Menos Aeropharma Drogaria da vila