terça-feira, 17 de novembro de 2015

Leopoldina: “Avatares de nós dois” foi a grande vencedora do 24º Concurso de Poesias Augusto dos Anjos

Após um mês de inscrição, foram recebidas mais de 600 poesias, de todas as regiões do Brasil e de alguns países, como Portugal e Japão. Com 473 poesias validadas, foram selecionadas 20. Trabalho duro da Comissão julgadora!

No início da década de 1990, quando as servidoras da Biblioteca Municipal Luiz Eugênio Botelho lançaram o primeiro Concurso de Poesias Augusto dos Anjos, poucas pessoas poderiam imaginar que o evento tomaria a proporção atual. Capitaneadas pela servidora municipal Maria Helena Vieira, a equipe lutou com bravura, adquirindo um tal grau de aprimoramento que já na quarta edição o certame teve âmbito nacional, e no ano seguinte, através da Lei nº 2.844, passou a fazer parte do calendário oficial do município.

Ao longo destes 24 anos, Leopoldina tem vivido momentos especiais de culto à poesia, através dos inúmeros poetas e declamadores, que atualmente se apresentam na solenidade que marca o julgamento final deste concurso. Os autores locais têm, assim, oportunidade de conhecer seus pares, ouvir novas vozes, sentir outras emoções. E muitos pequeninos começaram a trilhar a estrada literária estimulados pela vivência deste acontecimento.

Neste ano de 2015, a Academia Leopoldinense de Letras e Artes participou da organização do concurso pela segunda vez.

A grande vencedora da noite foi a poeta Fernanda Hamann de Oliveira da cidade do Rio de Janeiro com o pseudônimo de Joana Amarante com a poesia “Avatares de nós dois” interpretada pela declamadora Angélica Vargas Santana:

AVATARES DE NÓS DOIS

O fascínio pela escrita
é o primeiro a me inspirar;
você, Jean-Paul Sartre,
eu, Simone de Beauvoir.

Eu trilhando o caminho
que os seus passos me apontarem;
você, Martin Heidegger,
eu, Hannh Arendt.

Você desejando me ter
numa ganância impertinente;
eu, Marilyn Monroe,
você, o presidente.

Eu dando vida e contorno
às cenas que você imagina;
você, Federico Fellini,
eu, Giulietta Masina.

Você criando homenagens
a um amor que nos faz existir;
eu, Gala, a musa,
você, Salvador Dalí.

Artista e modelo nus,
eternos no mesmo instante;
você, Pablo Picasso,
eu, a sua amante.

Nossa casa com jardim,
colorida na primavera;
eu, Frida Kahlo,
você, Diego Rivera.

Ai, quando tempo perdido
no gozo cego da fantasia;
eu sonhando acordada,
e você nem desconfia.

Fonte: O Vigilante Online com Informações: Secretaria de Cultura de Leopoldina com Wendell Nogueira

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Farmácias de Plantão em Cataguases
27 Domingo
28 Segunda
29 Terça
30 Quarta
01 Quinta
02 Sexta
03 Sábado
Droga Minas Coimbra Econômica
Pague Menos Aeropharma Drogaria da vila