quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Barraco na Câmara de Cataguases: Pastor Alex Fidelis discute com vereador Walmir Linhares

Um fato dos mais lamentáveis ocorreu na sessão ordinária da Câmara de Cataguases na noite desta terça-feira (10).

O Pastor Alexandro Fidélis, da igreja Labaredas de Fogo, responsável pelo Projeto Resgatando Vidas, que recentemente foi objeto de polêmica na Casa Legislativa, após o Executivo realizar convênio onde cedia a Escola Humberto Castelo Branco, na região do Cágado no distrito de Aracatí e que posteriormente verificou-se que o terreno onde a escola se encontra, não é de propriedade do Município, o que ensejou o arquivamento do projeto, usou a palavra durante a sessão, com permissão do presidente, para atacar o vereador Walmir Linhares.

Segundo o pastor, o vereador seria o responsável pelo projeto não ter passado, argumentando que o edil teria envenenado a comunidade do Cágado. "O que me impulsionou a vir aqui, foi que na verdade, o Sr. Walmir Linhares, estou falando do vereador, me disse algumas coisas que eu duvido como por exemplo, dizendo que ele é homem igual a mim. Gritou ali dizendo: Eu sou homem igual a você, tá me olhando porque? Então eu sou homem e vou lhe provar que sou homem hoje! E me disse também depois da reunião a qual ele envenenou lá no Cágado quando fui cumprimentá-lo: Você precisa aprender a trabalhar, precisa tomar um banho na minha água" iniciou o religioso.

Conforme disse, "Sem chorumelas e sem mentiras, para provar se o vereador seria homem", o pastor contou uma história, dizendo que 3 meses antes da eleição, o vereador Walmir Linhares, o havia procurado, pedindo que ele internasse um jovem dependente químico com a promessa de que daria cesta básica para ajudar e que depois de eleito, ajudaria em relação a documentação da entidade. Segundo o pastor, o vereador não ajudou com a cesta básica e nem com a documentação e que agora vem cobrar os documentos da entidade. "Eu só servi no momento em que ele precisou? No momento em que eu não sirvo mais, agora não tenho mais nenhum tipo de utilidade? Com qual tipo de pessoa nós estamos lidando então?" Questionou.

Continuando, o pastor disse que quando esteve a primeira vez na Câmara, que vários ex-dependentes químicos haviam procurado o vereador Walmir para saber se era ele quem estava barrando o projeto mas que não foi nada armado e que o vereador havia lhe dito que quem deveria estar barrando seria o vereador Vinicius Machado, mas que ele, Walmir, não pediria vistas ao Projeto. "Este homem, impediu, destruiu, paralisou um projeto que vem beneficiando toda a comunidade de Cataguases" disse Alex, afirmando que tudo o que estava falando era verdade. "Se vai me processar, fica a vontade, se tiver de pagar cesta básica isso é fácil porque já mando cesta básica pra tudo quanto é lado, se tiver de pagar alguma coisa pago com o maior prazer, mas para provar que eu sou homem e que tudo que eu falei aqui é verdade. O Apóstolo Paulo, resistiu Pedro na cara porque a Palavra de Deus disse que ele era repreensível, então, quem gosta muito de bla bla bla quem gosta de falar, também tem de aprender a escutar. [...] Se a comunidade terapêutica hoje não está com os documentos em dia, porque agora paralisou, foi porque o vereador Walmir Linhares me prometeu de me ajudar a colocá-la nos parâmetros legais, isso nunca aconteceu e eu nunca fui procurado por ele, só para poder internar o rapaz" disse.

O pastor também falou de algumas ocorrências policiais que envolveram seu projeto e disse que nada foi provado e que em relação a um problema envolvendo um caminhão que foi encontrado em seu projeto em Piacatuba que a denuncia partiu dele (Pr. Alex).

Após o discurso do Pr. Alex,  o vereador Walmir Linhares também pediu a palavra e chamou o pastor de profeta falso, dizendo que o mesmo usa o nome de Deus em vão, pois ele teria recebido nesta terça-feira, pela manhã, uma pessoa que faz tratamento na clinica Resgatando Vidas e que teria contado a ele que lá não é nada gratuito, que o Pastor "vive explorando as pessoas". "O pastor falta com a verdade, ele mente, ele tem que pedir perdão a Deus pelos atos cometidos aqui nesta Casa esta noite contra um homem de bem. Ele não tem o direito de me agredir! Ele não tem o direito, pelas pessoas que me conhecem e sabem quem eu sou! Ele usa da religião! De um ato covarde e perverso! Deveria ter humildade, porque quando eu cheguei na região do Cágado na semana passada, eu fui agredido verbalmente por pessoas do seu convívio." iniciou o vereador que continuou dizendo que contra "esse pastor mentiroso" ele possui documentos do Promotor de Justiça, mais de 10 boletins de ocorrência, um abaixo assinado da população do bairro São Diniz com mais de 4 folhas contra o projeto do pastor, além de fotos e outros documentos da fiscalização da Vigilância Sanitária. "Não é justo, um cidadão subir a esta tribuna e atacar um homem trabalhador, que está desde as primeiras horas do dia lutando, o senhor mente!" Disse em forte entonação o vereador.

Neste momento, Walmir foi interrompido pelo pastor, o que gerou um bate boca inimaginável no plenário da Casa Legislativa. Enquanto o vereador chamava o pastor de mentiroso e dizia ter vergonha de ter um pastor igual a ele na cidade, o pastor rebatia com palavras e batia palma para o vereador. Walmir chegou a pedir que o pastor fosse retirado do plenário, mas quando o presidente interviu, o pastor e outros membros do Projeto Resgatando Vidas continuaram a bater boca, dizendo que Walmir havia comprado a medalha que recebeu.

Após mais um pedido do presidente e ameaça de suspensão da reunião, o pastor se retirou e o vereador Walmir pode terminar seu discurso onde continuou chamando o pastor de falso profeta. "Eu estou muito tranquilo, muito sereno, porque quem me conhece sabe que tipo de pessoa sou eu. Não dou ouvidos a isso, porque é um falso pastor, um falso profeta. [...] Eu não tenho nada a dizer e deixo que as pessoas julguem os meus atos e minhas atitudes" concluiu.

O vereador Geraldo Majella, pediu para o presidente que este assunto possa ser encerrado e que qualquer demanda sobre isso possa ser judicial, por que o vereador Walmir havia escutado calado e o pastor não aceitou ouvi-lo. 

Também o vereador Fernando Amaral se manifestou favorável ao vereador Walmir dizendo que foi uma falta de respeito.


Confira abaixo, áudio e vídeo da discussão:

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Farmácias de Plantão em Cataguases
27 Domingo
28 Segunda
29 Terça
30 Quarta
01 Quinta
02 Sexta
03 Sábado
Droga Minas Coimbra Econômica
Pague Menos Aeropharma Drogaria da vila