quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Ubá e Curvelo tem os dois primeiros casos de Zika Vírus confirmados de Minas Gerais

Foto: Marcelo Santana

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) confirmou nesta quinta-feira, 14/01, dois casos de Zika Vírus no estado. Um dos casos é de uma gestante, residente no município de Ubá, e o outro de um bebê, nascido no mês de dezembro de 2015 e residente em Curvelo. Com isso, confirma-se a circulação do Zika Vírus no Estado. A SES-MG já fez contato com os dois municípios e com as respectivas regionais de saúde para monitoramento das situações, que envolve realização de exames complementares. 

Segundo o superintendente de Vigilância Epidemiológica, Ambiental e Saúde do Trabalhador da SES-MG, Rodrigo Said, as ações de prevenção e controle do mosquito Aedes aegypti, que já estão em execução, intensificam-se a partir desse momento em que é confirmada a transmissão no estado de mais uma doença pelo vetor. “Temos que ter em mente que não se trata de uma ação unilateral, de responsabilidade apenas do poder público. A participação da população é fundamental nesse processo, uma vez que elas podem auxiliar com a mobilização e com as atividades de controle, inclusive estando atenta aos criadouros do vetor em seus domicílios”, acrescenta.

O bebê nascido em Curvelo apresentava 32 cm de perímetro cefálico (crânio), limite definido pelo Ministério da Saúde para triagem e identificação de bebês possíveis portadores de microcefalia. Este procedimento consta no “Protocolo de Vigilância e Resposta à Ocorrência de Microcefalia Relacionada à Infecção pelo Vírus Zika”. No entanto, como ele nasceu com 46 cm de comprimento e 2.915 kg, tamanho considerado pequeno pelos padrões, o crânio de 32 cm de perímetro pode ser considerado proporcional ao corpo da criança. Mais exames estão sendo realizados para confirmar o diagnóstico. 

Já a gestante residente em Ubá apresentou sintomas do Zika Vírus no mês de dezembro, como hiperemia conjuntival (olhos vermelhos) sem secreção e sem coceira, artralgia (dores nas articulações), exantema maculo-papular (manchas ou erupções na pele com pontos brancos ou vermelhos), dores musculares, dor de cabeça e dor nas costas. O caso também segue em investigação (para saber se o bebê também apresenta microcefalia) e acompanhamento da gestante. 

Situação epidemiológica

Foto: Marcelo Santana
Até o momento, 55 casos de microcefalia (associadas ou não ao zica vírus) foram notificados no estado. Desses, 36 foram descartados para associação ao Zika Vírus e 17 permanecem em investigação. Todos os casos seguem o Protocolo de Vigilância e Resposta à Ocorrência de Microcefalia Relacionada à Infecção pelo Vírus Zika, do Ministério da Saúde, esse protocolo recomenda busca ativa de mulheres em idade fértil e com suspeita de gravidez, além da ampliação ao acesso a testes rápidos. O protocolo de atendimento envolve mulheres em idade fértil, gestantes e puérperas e recém-nascidos com microcefalia. Os dois casos confirmados se encaixam nesse cenário, sendo um deles uma gestante, com confirmação do Zika Vírus, e outro um bebê, também com a confirmação do Zika Vírus. 

Já com relação ao Zika Vírus, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais trabalha com 46 casos notificados até o momento. Desses, 8 foram descartados por exames laboratoriais e 38 permanecem em investigação. Os casos estão de acordo com o Protocolo de Implantação de Unidades Sentinelas para Zika Vírus e excluem os casos de recém-nascidos com microcefalia, mães de recém-nascidos com microcefalia e gestantes. 

Ações em andamento

O Governo criou, no final do mês de dezembro, o Comitê Gestor Estadual de Políticas de Enfrentamento à Dengue, Chikungunya e Zika Vírus, que tem como objetivo fomentar ações para o controle do mosquito Aedes aegypti, diminuindo assim a incidência das doenças no estado. Nesta terça-feira (12/01), ocorreu a primeira reunião do grupo, liderado pelo vice-governador, Antônio Andrade e com a Secretaria de Estado de Saúde à frente da secretaria executiva. Representantes de 17 secretarias e instituições do Estado também participaram do encontro. 

Já nesta quinta-feira (14/01), o Comitê reuniu prefeitos e representantes dos cinco municípios em situação de risco no Estado: Ubá, Governador Valadares, Coronel Fabriciano, Pará de Minas e Bom Despacho. O secretário de Estado de Saúde, Fausto Pereira dos Santos, também participou da reunião. 

Durante o encontro, os prefeitos trocaram informações sobre as estratégias de combate ao Aedes aegypti e receberam recomendações dos integrantes do Comitê, que envolvem o planejamento integrado das ações de prevenção e controle do vetor, a organização de serviços de saúde e o reforço às atividades intersetoriais, como mutirões de limpeza e ações em imóveis abandonados. 

Até o momento, o Governo de Minas já liberou um total de R$ 66 milhões para os municípios. O objetivo é incentivar a qualificação das atividades de vigilância e controle de endemias transmitidas por vetores e desenvolver ações de redução dos riscos das três doenças.

O vice-governador, Antônio Andrade, e o secretário de Estado de Saúde, Fausto Pereira dos Santos, ainda apresentaram as próximas ações do Comitê, que serão executadas visando o envolvimento da população e à divulgação da campanha de mobilização do Estado:
  • Reunião com 3.600 novas diretoras e novos diretores de escolas estaduais;
  • Encontro com os presidentes dos 48 consórcios de saúde de Minas Gerais;
  • Reunião com prefeitos de todo o Estado, a ser realizada juntamente com a Associação Mineira de Municípios (AMM).
Fonte: Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG)

Farmácias de Plantão em Cataguases
04 Domingo
05 Segunda
06 Terça
07 Quarta
08 Quinta
09 Sexta
10 Sábado
FarmaCenter São Geraldo Droganova São Francisco N. Sra. Aparecida Brasil Sta Tereza
N. Sra Rosário Silveira Farmanossa Cataguases Campinho São Mateus Silveira II