sexta-feira, 18 de março de 2016

Prefeitos da Bacia do Rio Doce conhecem detalhes dos programas para recuperação da região

Governo de Minas Gerais apresenta as ações previstas no acordo coletivo e esclarece dúvidas sobre a sua implementação


O Governo de Minas Gerais recebeu, nesta quarta-feira (16/3), na Cidade Administrativa, os prefeitos das cidades atingidas pelo rompimento da Barragem de Fundão, em Mariana, para esclarecer os pontos do acordo coletivo celebrado pela União e estados com a Samarco Mineração e suas controladoras, Vale e BHP. Mesmo após a assinatura do acordo coletivo, o governo estadual mantém o diálogo com os municípios, dando prosseguimento ao trabalho iniciado com a força-tarefa.

Além de explicar detalhes do acordo coletivo, o encontro foi uma prestação de contas aos prefeitos do trabalho realizado pela força-tarefa, que compilou os danos ambientais, materiais e econômicos, apresentados pelos municípios, decorrentes do rompimento da barragem.

“O governador Fernando Pimentel recebeu os prefeitos atingidos pelo desastre, em novembro do ano passado, para ouvir as suas reinvindicações e assumiu a coordenação das ações voltadas para a recuperação destes municípios, que foram consolidadas neste acordo. Este é o resultado de um compromisso firmado e cumprido”, destaca o secretário de Desenvolvimento Regional Política Urbana e Gestão Metropolitana, Tadeu Martins Leite, que coordenou os trabalhos da força-tarefa estadual.

O advogado-geral do Estado, Onofre Alves Batista Junior, detalhou os principais pontos do acordo coletivo e ressaltou que pensar de forma conjunta com a União, estados e comunidades atingidas foi a melhor forma de garantir soluções adequadas, justas e eficazes para dar celeridade às decisões que possam ajudar a reconstruir a vida da população atingida.

“O consenso final nasceu do acordo coletivo. Sem ele teríamos um desastre maior. Nós sabemos que uma demanda judicial duraria anos e deixaria muita gente desamparada. E não é isso o que queremos”, avalia o advogado-geral.

Acordo coletivo

Formalizado em Brasília, no último dia 2 de março, em solenidade que teve a participação da presidente Dilma Rousseff, dos governadores de Minas Gerais, Fernando Pimentel, do Espírito Santo, Paulo Hartung, entre outras autoridades, o acordo tem o objetivo de consolidar medidas e ações para recuperação da Bacia do Rio Doce e restauração das áreas atingidas pelo rompimento da barragem de Fundão, da Samarco.

Cerca de R$ 26 bilhões serão aplicados nas comunidades e na recuperação da Bacia do Rio Doce ao longo de mais de uma década.

Uma fundação de direito privado será responsável pela gestão do fundo que vai viabilizar as ações corretivas e medidas socioeconômicas e socioambientais e será constituído com repasses financeiros da Samarco e suas controladas, Vale e BHP.

A fundação será controlada, também, pelo Comitê Interfederativo, com representantes da União, dos dois estados e dos municípios, bem como por uma auditoria externa independente (conforme solicitado pelo Ministério Público Federal), que deve fiscalizar e fornecer informações para todos os órgãos de controle. A expectativa é que o fundo movimente R$ 20 bilhões em 10 anos.



Força-tarefa

Em 21 de novembro de 2015, o Governo de Minas Gerais, por meio do Decreto nº 46.892, instituiu a força-tarefa para avaliação dos efeitos e desdobramentos do rompimento da barragem da mineradora Samarco, no distrito de Bento Rodrigues, em Mariana.

O grupo, coordenado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional de Política Urbana e Gestão Metropolitana (Sedru), era composto pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, Advocacia Geral do Estado (AGE), Copasa, Instituto Mineiro de Gestão de Águas (Igam) e Cemig, além de prefeitos dos municípios atingidos.

A força-tarefa cumpriu a missão de realizar levantamento de dados, emitir relatórios, apresentar conclusões e propor medidas corretivas e restauradoras acerca dos danos humanos, ambientais e materiais decorrentes do rompimento da barragem de Fundão.

O relatório final dos trabalhos foi entregue ao governador Fernando Pimentel e contribuiu decisivamente nas discussões para elaboração do acordo coletivo para a recuperação dos municípios atingidos e da Bacia do Rio Doce.

Agencia Minas

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Farmácias de Plantão em Cataguases
27 Domingo
28 Segunda
29 Terça
30 Quarta
01 Quinta
02 Sexta
03 Sábado
Droga Minas Coimbra Econômica
Pague Menos Aeropharma Drogaria da vila