sexta-feira, 8 de julho de 2016

Populares manifestam em Cataguases por mais segurança e levam revindicações para Judiciário, MP e comando da 6º Cia de PM






Dezenas de pessoas foram às ruas em Cataguases, protestar por mais segurança no município na tarde desta quinta-feira (7/7).

A organizadora da manifestação, Marita Costa Cruz Bitencourt de Souza, explicou que após sua mãe ter sido brutalmente espancada em uma tentativa de assalto e de tomar conhecimento dos vários furtos e roubos que tem se tornado frequente no município, teve a ideia de mobilizar a sociedade para a questão: "Minha mãe, foi espancada em uma tentativa de roubo, graças a Deus, o cara está preso mas o que a gente sabe hoje é que vai pra lá, prende e daqui a uma hora é solto e o movimento é para isso, pedir maior rigor" disse.


"No sábado, nós tivemos 8 ocorrências e vídeos da pessoa dormindo e sujeito invadindo sua casa, mas a gente acha que isso está distante da gente, quando foi no domingo, um indivíduo tentou assaltar a minha mulher, com minhas crianças, na sequencia agrediu um homem e logo em seguida, espancou minha sogra gratuitamente em uma tentativa de assalto, a gente percebe que está tendo um aumento da insegurança na cidade. A gente vê que a Polícia Militar tenta fazer o papel mas o número de policiais é pequeno, da Polícia Civil também e esse movimento é para mobilizar a população, os poderes constituídos tem de fazer alguma coisa, não é só jogar a bola para o secretário de estado não, tem de fazer mais do que isso, o prefeito quis nos ajudar mas é preciso fazer mais! É viatura parada porque não tem combustível, não tem manutenção e quem que paga o pato disso? Então é preciso que a situação seja contornada pois a cidade sempre foi ordeira, pacata e tem de voltar a ser como era." completou o empresário Guilherme Valle Souza, esposo de Marita.

A passeata iniciou em frente a Prefeitura Municipal, na Praça Santa Rita, onde foram colhidas assinaturas para um abaixo assinado e seguiu - com "apitaço" - pela Avenida Astolfo Dutra, Avenida Humberto Mauro até a porta do Fórum, onde Guilherme e Marita protocolaram um requerimento para o Juiz Dr. Felipe Teixeira Cancela Júnior, diretor do Fórum, e para os promotores: Dr. Carlos Eduardo Fernandes Neves Ribeiro e Dra. Soraya da Silva Nascimento Guedes com as seguintes reivindicações: Apoio a Operação Reação da Polícia Militar, com mais rigor quanto aos relaxamentos das prisões; Celeridade junto à justiça ao urgente atendimento dos requerimentos das polícias; apoio ao aumento no número de policiais civis, apoio ao aumento da quantidade de viaturas civis e militares e suporte financeiro para manutenção; apoio ao aumento do contingente dos policiais militares; apoio ao necessário suporte estrutural para que a Polícia Militar possa atender as reclamações, denuncias e os apelos da população em menor tempo.

Por fim, os manifestantes receberam a visita do Tenente Coronel Clóvis Pimenta, Comandante da 6º Cia de PM em Leopoldina, a qual Cataguases é subordinada, que deixou claro seu entendimento de que o movimento é a favor da segurança pública e não contrário à polícia. "Nós temos índice de ações preventivas aumentados, mas a gente vê que a parte de crimes violentos está em uma curva ascendente e nós precisamos dar uma resposta para a comunidade, você conhece meu trabalho, eu tenho uma carinho muito grande por Cataguases, tenho conversado bastante com o Major Willian que é meu preposto aqui e quero só agradecer e te pedir que esteja sempre junto fazendo isso para que a gente possa desta forma mobilizar o sistema de defesa social, Ministério Público, Judiciário, Defensoria Pública, OAB, Polícia Civil, Polícia Militar, Prefeitura, Câmara Municipal, os clubes de serviço, para que juntos possamos dar as mãos e trabalhar em prol da comunidade, para que possamos reunir e dar uma resposta." disse o Ten Cel Clóvis Pimenta.

Guilherme passou para o comandante as reivindicações e solicitou a melhora do efetivo em Cataguases, obtendo a resposta de que isto já está sendo solicitado pelo comando. Pimenta também garantiu que a Polícia Militar já está alinhando com o juiz e promotoria da vara da infância e juventude, bem como com a diretoria do presídio para que os menores reincidentes em crimes, possam ficar reclusos.

Dura Realidade

No mesmo momento em que estava acontecendo a manifestação, um menor, que já realizou vários assaltos em ônibus em Cataguases, foi levado em uma ação conjunta da PM e PC para audiência jundo ao juiz a fim de que ficasse internado, mas, devido a falta de local de acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), o menor acabou sendo liberado. Perguntado sobre esta questão, o Ten Cel Pimenta, disse que é uma ação do Estado, que as unidades de internação estão lotadas e que o Estado necessita desenvolver ações para resolver esta questão e que enquanto isso não acontece, a PM tenta promover um alinhamento com o Judiciário e MP para achar soluções.

Farmácias de Plantão em Cataguases
27 Domingo
28 Segunda
29 Terça
30 Quarta
01 Quinta
02 Sexta
03 Sábado
Droga Minas Coimbra Econômica
Pague Menos Aeropharma Drogaria da vila