sábado, 31 de dezembro de 2016

Como foi o ano em Cataguases? Confira a retrospectiva 2016 e relembre a política, a eleição e os crimes que marcaram a cidade

Este ano de 2016 foi um ano de muito trabalho para toda a imprensa cataguasense. O Site Mídia Mineira, esteve presente nos principais eventos do ano como testemunha ocular da história: Eleições, ocorrências policiais, discussões políticas foram algum dos temas que presenciamos e por este motivo, fazemos aqui nossa retrospectiva dos fatos (que para o Site) mais marcaram a vida da cidade.

O ano de 2016 iniciou com uma notícia triste para os cataguasenses. Aos 81 anos, falecia o ex-prefeito Doutor Tarcísio Humberto Parreiras Henriques. Advogado, jornalista, um dos mais importantes políticos de Cataguases e muito influente no cenário mineiro, Doutor Tarcísio foi prefeito de Cataguases por duas vezes (1983-1988 e 2005-2008), deputado estadual e secretário de estado de justiça entre outros importantes cargos exercidos no Estado, por tudo isso, Doutor Tarcísio se tornou uma referência em Cataguases.

Em fevereiro, o carnaval, um dos maiores investimentos do prefeito Cesinha, não trouxe grande público para a Avenida, com pico de aproximadamente 5 mil pessoas, segundo a Polícia Militar, teve reclamação dos comerciantes em relação as vendas e foi marcado como um dos mais violentos do Município com duas mortes. 

Após o carnaval, iniciou-se as parcerias políticas para a eleição municipal de outubro e um dos primeiros partidos a manifestar apoio a candidatura de Willian Lobo foi o Partido Verde (PV). Também em fevereiro, um incidente com o prefeito de Leopoldina, José Roberto que chamou Cataguases de "Argentina" em um programa de rádio local, provocou a Câmara que aprovou uma moção de repúdio para o gestor da cidade vizinha. O prefeito de Leopoldina veio a duas rádios em Cataguases para se justificar e pedir desculpas, acabando por dar a volta por cima, fechando o ano com moção de aplauso concedida também pela Câmara de Cataguases.

Em março, o vereador Fernando Pacheco já se apresentava como pré-candidato a prefeito de Cataguases. As movimentações políticas começavam a esquentar. Willian recebia apoio para sua pré-candidatura da ex-prefeita Maria Lúcia Mendonça e o Pros oficializava, em primeiro momento, seu apoio a pré-candidatura de Antônio Lage. Terminava a janela para troca de partidos e entre os vereadores, Maurício Rufino decidiu ir para o Pros e Walmir Linhares resolveu ficar mesmo no PSDB e apoiar Willian, mesmo andando na contramão das ideias do partido.

Com o decorrer dos meses, cresce as especulações políticas e aumentam o número de pré-candidatos antes das convenções chegando a 8 nomes, para, mais tarde, as convenções definirem cinco candidatos ao cargo de chefe do Executivo: Willian Lobo, Fernando Pacheco, Cesar Samor, Antônio Lage e Antônio Hulk.

Em meio a efervescência política, uma das grandes discussões do meio do ano que envolveu Executivo, Legislativo e Judiciário, foi a retirada dos engenhos publicitários (placas de lojas etc) com tamanho fora do padrão na poligonal de tombamento. o prazo terminaria este ano, os vereadores prorrogaram por mais dois anos, o prefeito Cesinha foi no embalo e tentou prorrogar também através de decreto, mas o Ministério Público não aceitou nenhuma das resoluções e exigiu a retirada imediata, no entanto, após intervenção da CDL, os comerciantes da poligonal de tombamento ganharam um respiro até o início de 2017. 

O governador Fernando Pimentel também esteve em Cataguases no meio do ano, mas a visita foi rápida, inaugurou a distância, no Centro Cultural Humberto Mauro, a placa que marca a entrega oficial de uma quadra na Escola Estadual Astolfo Dutra, assinou Lei para doação de um prédio para implantação de uma unidade oncológica e o repasse de recursos à prefeitura para compra de máquinas e recuperação de ruas e estradas. Pimentel não quis falar com os jornalistas e saiu rapidamente após o evento.

Ao iniciar a corrida eleitoral em agosto, o Procon de Cataguases anunciava medida administrativa para suspender a taxa de esgoto cobrada pela Copasa. A medida foi vista por muitos como uma tentativa do prefeito Cesinha em aumentar sua aprovação, tanto que o PC do B, distribuiu panfletos pela cidade fazendo alusão ao cumprimento da promessa de Cesinha, mas os eleitores tiveram de pagar a taxa mesmo assim, que continuava a vir nas contas de água. Após as eleições, a empresa recorreu e derrubou a medida do Procon sem perder nenhum mês de pagamento.

Chegamos à eleição de outubro que confirmou as previsões de que o vencedor seria o ex-prefeito Willian Lobo de Almeida, no entanto, com uma grande surpresa chamada Fernando Pacheco. O candidato que havia lançado uma candidatura simples, sem muitos gastos, recebeu vários apoios de última hora e contrariando os prognósticos de vitória esmagadora de Willian, perdeu por apenas 693 votos de diferença e tornando-se a revelação política do ano. O resultado final ficou da seguinte forma: Willian: 16.798 votos, Pacheco: 16.105, Lage: 4.182, Cesinha:  2.888 e Hulk: 194.

100 anos do Hospital de Cataguases

Certamente, o evento mais marcante do ano foi a comemoração dos 100 anos do Hospital de Cataguases que levou uma multidão para a Praça Rui Barbosa como parte das comemorações. O Hospital também inaugurou um memorial que relembra a história da Santa Casa no município e porque não dizer, da saúde em Cataguases.


Violência:

O aumento da violência preocupou os cataguasenses em 2016, provocado principalmente pelo consumo de drogas e brigas entre gangues rivais. No entanto, a Polícia Militar lançou uma resposta rápida que trouxe de volta a sensação de tranquilidade no segundo semestre do ano. Mesmo assim, devido as dificuldades do início do ano, os homicídios aumentaram em Cataguases, sendo pelo menos 8, três a mais que em 2015. confira abaixo:


Ana Flávia Leitão, 37 anos, natural de Belo Horizonte, foi brutalmente assassinada na madrugada de sábado (16/01/2016), em sua residência na Avenida Veríssimo Mendonça, 275, Bairro Beira Rio em Cataguases.

Clique aqui para ler a matéria na íntegra.

Daniel Carli de Oliveira, 18 anos, vulgo "Markitão", foi morto com golpe de faca por volta das 22h30 da quinta-feira (4/02/2016), durante o carnaval. Conforme informações, um grupo de jovens do bairro Guanabara teria se desentendido com a vítima, moradora do bairro Pouso Alegre. O jovem teria tentado correr quando  levou a facada pelas costas. Clique aqui para ler a matéria na íntegra.

Tchupeter Tomáz Lopes, 25 anos, morador do bairro Guanabara, foi vítima de um disparo de arma de fogo, provavelmente calibre .22, por volta das 2h40 da madrugada do dia 6 de fevereiro de 2016. Tchupeter foi a segunda vítima no período de carnaval. O caso foi visto como retaliação pelo assassinato de Daniel, um dia antes. Clique aqui para ler a matéria na íntegra.

O jovem mototaxista Bruno da Silva Alves, 29 anos, foi baleado na cabeça após uma assalto no dia 18 de março e teve a morte cerebral confirmada na tarde da segunda-feira (21). A vítima, residente no bairro Haidee Fajardo Dutra pegou um cliente na Praça Chácara Dona Catarina por volta das 20 horas para realizar uma corrida até o bairro Santa Clara. Ao chegar ao local, próximo ao Caic, o autor anunciou o assalto e disparou contra Bruno, acertando-o na cabeça. Até hoje o autor não foi localizado. A motocicleta de Bruno foi abandonada horas depois próximo ao local onde ele residia. Clique aqui para ler a matéria na íntegra.

Reynaldo Mariano Batista Júnior, 29 anos, conhecido como Junior Niego (Junior Negão), foi alvo de vários disparos de arma de fogo por volta das 23 horas da quarta-feira (20/04/2016), na Rua Joaquim Augusto de Almeida, em frente a uma loja de peixes ornamentais, próximo ao Mercado do Produtor. Conforme informações, a vítima teria saído em uma motocicleta da casa da namorada, na rua Cleto da Rocha, próximo ao local, quando foi abordada por dois homens em uma motocicleta grande que já chegaram atirando. Leia a matéria na íntegra clicando aqui.

Antônio Celso Antâo, 52 anos, vulgo "Celso do amendoim", foi encontrado morto em sua residência na Avenida Astolfo Dutra, 911, centro em Cataguases, na noite de terça-feira (21/06/2016). A vítima morava apenas com a esposa que encontra-se em Belo Horizonte para tratamento médico. O corpo foi encontrado, em cima de um sofá, por familiares que sentiram a falta do homem. Clique aqui para ler a matéria na íntegra.

Leonardo César Barbosa, 24 anos, foi morto com 3 tiros, um nas costas, e dois na região da cabeça, no final da tarde do dia 19 de julho de 2016 em Cataguases. De acordo com informações, Leonardo ou "Leozinho", como era conhecido, era suspeito de participação no homicídio de Tchupeter Tomáz Lopes, 25 anos, no período de carnaval. Ele morava no bairro Pouso Alegre e tudo indica que o crime seria mais um capítulo da briga entre os bairros Guanabara e Pouso Alegre. Ele estaria fora da cidade desde o carnaval e a cerca de 3 semanas teria voltado para a cidade e estaria trabalhando como pedreiro no bairro São Diniz. Clique aqui para ler a íntegra da matéria.

Weverton da Silva Diogo, vulgo "Cabralzinho", de 27 anos, foi encontrado morto com dois tiros de arma de fogo, na Rua José Esteves, bairro São Pedro em Cataguases no dia 22 de agosto. Clique aqui para ler a íntegra da matéria.

Política

Para finalizar colocamos abaixo, um resumo das principais notícias políticas veiculadas pelo Site Mídia Mineira durante o ano. Confira:

Janeiro/2016:


Fevereiro/2016:

Março/2016


Abril/2016


Maio/2016


Junho/2016


Julho/2016

Setembro/2016


Nenhum comentário :

Postar um comentário

Farmácias de Plantão em Cataguases
08 Domingo
09 Segunda
10 Terça
11 Quarta
12 Quinta
13 Sexta
14 Sábado
São Francisco N. Sra. Aparecida Brasil Sta Tereza Econômica II Atlas Sta Rita
Cataguases Campinho São Mateus Silveira II Silveira (vila) Vasconcelos Saúde e Vida