sexta-feira, 5 de maio de 2017

Ex-subsecretário da Receita Municipal de São Paulo e acusado de chefiar a Máfia do ISS é preso com sua esposa em Juiz de Fora

Uma operação conjunta entre as polícias Civil e Militar, realizada hoje (5/5) em Juiz de Fora, denominada "Operação Concórdia", cumpriu 22 Mandados de Busca e Apreensão e prendeu 8 pessoas por crimes diversos, entre eles, o ex-subsecretário da Receita Municipal de São Paulo e  e auditor fiscal, acusado de chefiar a Máfia do ISS (Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza) ou Máfia dos Fiscais, Ronilson Bezerra Rodrigues, 54 anos e sua esposa, Cassiana Malhães Alves, 49 anos.


Foto: Reprodução/TV Globo
Ronilson foi condenado, em abril deste ano, a 10 anos de reclusão e 33 dias-multa, em regime inicialmente fechado, entretanto, ele poderia recorrer em liberdade mas como não foi encontrado no endereço indicado foi decretada a prisão. A esposa de Ronilson, também foi acusada pelo Ministério Público, mas foi absolvida pelo juiz. 

No esquema, revelado em 2013, auditores fiscais do município cobravam propina de empresas para reduzir o valor do imposto que deveriam pagar à prefeitura, durante a gestão Gilberto Kassab (PSD). Segundo o Ministério Público, a fraude envolveu 410 empreendimentos, entre construtoras, shopping centers e até hospitais. Calcula-se que até R$ 500 milhões tenham sido desviados da prefeitura com o esquema criminoso.

A ordem de prisão foi expedida em 28 de abril pelo juiz Marcos Fleury Silveira de Alvarenga, da 12ª Vara Criminal da Capital Paulista. No despacho, o juiz diz "que mesmo autorizados a se afastarem do distrito da culpa, no endereço indicado afinal não foram localizados". O juiz determinou, então, que eles fossem presos para "garantia da ordem pública, conveniência da instrução criminal e assegurar a aplicação da lei penal".


Durante dois dias, policiais do Decade, o Departamento de Capturas da Polícia Civil de São Paulo, percorreram endereços de Ronilson na capital paulista e na cidade de Cataguases, onde Ronilson estaria vivendo com a mulher. O casal acabou preso em um apartamento no centro de Juiz de Fora.

O ex-subsecretário havia obtido autorização para se mudar para sua cidade natal, sob a condição de continuar comparecendo às audiências que o requisitassem e de responder às cartas precatórias que lhe fossem enviadas.

Ele alegou dificuldades financeiras e disse que os pais de sua mulher passavam por problemas de saúde.

O criminalista Marcio Sayeg, advogado de Rodrigues e Cassiana, afirmou que ainda não teve acesso aos pedidos de prisão, mas que iria ingressar com habeas corpus para ambos.


Ele informou que o ex-subsecretário vinha respondendo a todas as intimações que recebeu, mas que ainda estava buscando os detalhes da prisão.

Operação Concórdia


Na operação que aconteceu hoje em Juiz de Fora, que contou com o efetivo de cerca de 200 policiais, 60 viaturas e uma aeronave, outras 6 pessoas foram presas. Oito pedras de crack, sete buchas de maconha e sacos plásticos utilizados para embalagem e venda das drogas, bem como uma balança de precisão e dois invólucros plásticos utilizados para embalagem e venda das drogas, uma motocicleta, produto de furto, além da quantia de R$ 5.998,00 foram apreendidas.

Na Vila Esperança II, um jovem de 24 anos, sua companheira de 18 e outro jovem de 21 foram presos por tráfico de drogas, uma mulher de 46 anos foi presa por injúria e um homem de 27 anos por desobediência. No bairro Marumbi, um jovem de 21 anos foi preso por homicídio consumado. O rapaz de 24 anos, preso por tráfico de drogas, também é suspeito de homicídio.

A coordenadora da operação, delegada Sheila Oliveira, destacou, durante a coletiva de imprensa que ocorreu às 10 horas desta sexta, que, praticamente todos os alvos foram localizados por meio do 181, com a ajuda da população.


Dra Patricia Ribeiro de Souza Oliveira, delegada regional, destacou sobre a importância das denuncias e da participação da população, já que a operação foi fruto de denuncias. Já o chefe do 4 Departamento de Juiz de Fora, Dr. Carlos Roberto da Silveira Costa, enfatizou que a PCMG e a PMMG não irão dar sossego à criminalidade. Outras ações como essa continuarão a acontecer.

De acordo com o comandante da 4ª Região da Polícia Militar, coronel Alexandre Nocelli, a manobra também visa a potencializar a sensação de segurança na cidade.

Fontes:  4ª DEPPC - Juiz de Fora, 
Agência Brasil, G1 e Extra.com

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Farmácias de Plantão em Cataguases
23 Domingo
24 Segunda
25 Terça
26 Quarta
27 Quinta
28 Sexta
29 Sábado
Econômica II Atlas Sta Rita Dose Certa Inova Econômica III Droga Minas
Silveira (vila) Vasconcelos Saúde e Vida Drogasil Droga farma Campinho Pague Menos