Enviar para imprimir ou salvar PDF

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Carta aberta do PSB fala em rompimento mas partido ainda tem vice-prefeito, três secretários e vários cargos comissionados na Prefeitura de Cataguases

O presidente do PSB, João Paulo Vargas Vairo, ex-Chefe de Gabinete da Prefeitura de Cataguases, enviou para a redação do Site Mídia Mineira, uma "Carta Aberta à População de Cataguases" em nome de todo Partido Socialista Brasileiro (PSB). A carta vai assinada pelo ex-secretário de Desenvolvimento e Gestão institucional, Wagner de Paula Vieira (PSB) e pelos vereadores: Betão do Remo (PSB), Marcos da Costa Garcia (PSD), Paulo Milani (PT) e Ricardo Dias (PC do B), além dos membros do partido: Bruno Peixoto Rezende e Evandro Vargas Vairo.

A carta faz um resumo da atuação do partido durante esse primeiro ano de governo onde atribuem a atuação do partido como primordial para que o Município tenha conseguido R$ 1,1 milhão entre outras coisas.

O documento fala que o prefeito teria afastado todos os integrantes do PSB do governo "rompendo drasticamente com um aliado de primeira hora" e sustenta que não houve explicação prévia para tal atitude. No entanto, conforme informações do TSE, o vice-prefeito Tita Lima, três secretários (Meio Ambiente, Saúde e Assistência Social), vários outros cargos comissionados e o cargo da recém-criada ouvidoria, permanecem com membros do PSB de Cataguases que, conforme informações preliminares, continuam apoiando a atual administração, o que não confirma a debandada dos socialistas do governo como está sendo apregoado, indicando um possível racha no partido.

Segundo o presidente do PSB Cataguases, João Paulo Vargas Vairo, o secretário de Saúde e a secretária de Assistência Social já teriam pedido a desfiliação do partido mas  ainda não teria sido atualizado no site do TSE. De acordo com João Paulo, apenas o secretário de Meio Ambiente, o ouvidor e outros cargos comissionados permanecem no partido. O presidente também informou que a orientação do partido é no sentido de que todos os filiados deixem a administração uma vez que (conforme afirmou) o partido rompeu com a atual gestão.

A carta não diz se a decisão de deixar o governo municipal foi através de plenária ou se foi apenas da diretoria do PSB.


Matéria atualizada em 22/01/2018 às 10h00.
Confira abaixo a carta na íntegra:






Nenhum comentário :

Postar um comentário