Enviar para imprimir ou salvar PDF

Cobertura Mídia Mineira - Eleições 2018

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Projeto fez com que escola de Cataguases se tornasse a entidade com maior número de alunos com livros publicados


De acordo com o Poema de Paulo Freire "A Escola é", a escola é "o lugar que se faz amigos". Não é apenas o prédio ou o programa ou o conceito mas sobretudo gente e, diz o poema: "a escola será cada vez melhor na medida em que cada um se comporte como colega, amigo, irmão". Este é o pensamento e a identidade da Escola Municipal Monsenhor Solindo. 


Localizada no bairro Thomé, a escola atende alunos daquele bairro bem como dos bairros: Sebastião Adolfo, Sol Nascente, Pouso Alegre, Menezes e Bom Retiro. Sua missão é adequar sua prática à realidade e auxiliar no que for possível: fazendo encaminhamentos para profissionais especializados, promovendo atividades diversificadas e atendimentos individuais, e, sobretudo ser ponto de apoio à comunidade escolar. Com este pensamento, a escola vem criando diversos projetos pedagógicos e entre eles estaca o projeto "Pequenos Escritores", que tem como objetivo proporcionar aos alunos a publicação de livros, que são escritos pela própria criança, contando com o apoio pedagógico, da direção e de parceiros para sua publicação. Este projeto fez com que a escola se tornasse a que mais tem alunos com livros publicados no Município de Cataguases, contribuindo com a educação e cultura dos munícipes.

Conforme a diretora Renata Franco Abritta, o projeto nasceu em 2013 e já lançou dezenas de livros nestes anos, sempre com o apoio da Prefeitura  de Cataguases através da secretaria municipal de Educação, da atual supervisora pedagógica Sônia Marinho, de toda equipe de docentes e funcionários além do importante apadrinhamento da supervisora pedagógica Rita Barros.


Outros projetos:

Além do projeto "Pequenos Escritores", a escola Monsenhor Solindo não para e tem mostrado que educação não se restringe apenas ao ensino dogmático ou mecânico de passar o conhecimento e realizar testes, mas também de interação, experiências e práticas. Veja abaixo alguns projetos realizados pela escola:

Projeto: “Quem ama cuida”:

O projeto tem objetivo valorização da vida, despertar a auto estima e cuidado com as crianças da escola com olhar de afeto através de parceria com a família.

Projeto: “Café com leitura”:

Tem como objetivo promover momentos de confraternização e leitura, onde o prazer de ler e o hábito da leitura são despertados.

Projeto: “Educação Ambiental”:

Busca conscientizar os alunos a respeito do cuidado com o corpo, com o ambiente, com a natureza e com o outro.

Projeto: “Alimentação saudável”:

Através da horta escolar os alunos aprendem sobre os cuidados e colhem o que vão comer, aprendendo a importância de uma alimentação saudável. Durante a refeição, são desenvolvidas ações de orientação, além de palestras aos pais e aos alunos a respeito do tema.

Projeto: “Preservando nossa cultura”:


Busca resgatar a cultura de Cataguases trabalhando o folclore local com brincadeiras, parlendas, comidas típicas, lendas, contos, bate pau e uma grande diversidade cultural.


Escola Municipal Monsenhor Solindo e a comunidade


A escola funciona desde 1987 e foi municipalizada em 1998, conforme resolução nº 8517/98.

O bairro foi se formando quando os proprietários da Fazenda Thomé começaram a fazer loteamento para vendas de terrenos, tornando-o basicamente residencial.

Atualmente, o bairro possui uma pequena variedade de pontos comerciais que atendem às necessidades básicas dos moradores: mercado, padaria, açougue, loja, bar, quitanda, serralheria, oficina de carro, fábrica de móveis.

A comunidade, de modo geral, é bastante participativa e atuante nos eventos realizados na escola e na vida escolar de seus filhos. Somente em alguns casos isolados não participam.

Partindo do princípio que a criança é um ser onde o afetivo, o cognitivo e o simbólico estão ligados, levando-a a sentir, pensar, agir e interagir com o meio, cabe à Escola buscar uma prática pedagógica coerente com a clientela atendida. Para isso, procura diversificar e flexibilizar o processo ensino-aprendizagem, de modo a atender as diferenças individuais dos alunos.

Os profissionais da escola criam espaços favoráveis à troca de experiências, significados e idéias que são construídas e partilhadas sem priorizar apenas uma área de conhecimento e sim sua totalidade, tornando suas atividades básicas, prazerosas e atrativas. Levam o aluno a participar ativamente nesse processo, tornando-o responsável, comprometido, planejador e sujeito de uma aprendizagem que permita seu desenvolvimento intelectual e afetivo.

Um comentário :

  1. Parabéns, Renata Abritta, equipe e alunos! Importante demais para a formação, projetos assim, além de transformar a vida dos alunos, eleva a autoestima de toda a família e comunidade escolar.

    ResponderExcluir