sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

"Seu" Zico, agricultor e folclorista é homenageado com samba enredo neste sábado em Cataguarino distrito de Cataguases



O que tem de bom na região rural de Cataguases? Uma resposta pode ser sem dúvidas o "Seu" Zico Justino do distrito de Cataguarino.


Fotos: Robson Silva/Cataguarino
Francisco Justino de Barros, o "Seu" Zico  Justino, agricultor, músico, repentista, mágico, artesão, contador de causos e piadas e folclorista. Aprendeu a dança de "Bate Pau" com um amigo, Ary Alves e participa de um dos grupos da dança mais antigos da região, que ainda está em atividade, desde 1963, o "Mineiro Pau". Aos 87 anos, o agricultor é hoje um dos maiores representantes vivos da cultura e do Folclore do Município, da Zona da Mata e também de Minas Gerais.

Entre as diversas atividades, "Seu" Zico se apresenta nas escolas, eventos culturais e festas da região juntamente com seus personagens folclóricos: Ana Bela que representa a Princesa Isabel, "Bumba meu boi" que representa o trabalho escravo e "Mulinha" que representa o administrador da Fazenda, sempre acompanhado do bate pau, uma dança folclórica com gingado e cantoria que simboliza o desejo de liberdade dos escravos. Por onde passa, "seu" Zico e equipe encanta o público e desperta a cultura nos jovens.

Homenagem

Por tudo que já fez pela cultura e folclore da região, "Seu" Zico virou samba enredo neste Carnaval e será homenageado neste sábado (3), na Quadra Poliesportiva do distrito de Cataguarino a partir das 19:30. 

Confira abaixo a letra do Samba feito pela filha do Sr. Zico, Rita Barros em parceria com Chiquinho Fernandes, Renato Batista e Joana Capella.

TRADIÇÃO, CORES E MAGIA

Rita Barros, Chiquinho Fernandes, Renato Batista e Joana Capella

Nosso folclore de mil cores,
De mil cores e alegria;
Vem contando nossa história,
É um mundo de magia!

O folclore é liberdade de expressão
É a vida de um povo ou nação
É a arte que devemos preservar
Teus encantos e mil cores a brilhar

Ana Bela retratando Isabel;
Com a pena pôs a tinta no papel:
Liberdade para os negros, de então!
O folclore é a nossa tradição.

A mulinha tem cabeça e tem rabicho
Vem trazendo o capataz, "Velho Mauá"
Ele exige um trabalho no capricho
Vem seguindo o boi-lé ou boi-bumbá

Vem mostrar o seu trabalho nas fazendas
Dia e noite, noite e dia sem parar
Bate-pau com seu gingado e cantoria
É um grito de desejo e euforia.

Um pouco mais sobre "Seu" Zico Justino

Casado com Enedina Gonçalves de Barros, Francisco Justino de Barros, nasceu em 3 de outubro de 1930 no Município do Alto do Rio Doce, tem 8 filhos, 10 netos e 6 bisnetos, mora desde 1950 em sua fazenda em Cataguarino. É também profundo conhecedor de plantas medicinais.


Fotos: Robson Silva / Cataguarino




Nenhum comentário :

Postar um comentário