Enviar para imprimir ou salvar PDF

quarta-feira, 9 de maio de 2018

Treze vereadores aprovam instalação da faculdade Sudamérica no antigo IDAIC em Cataguases

Por Treze votos a dois os vereadores de Cataguases aprovaram na noite desta terça-feira (8) o contrato de comodato entre o Município de Cataguases e o Instituto Nacional Ltda, que administra a Faculdade Sudamérica na cidade.

O comodato cede a Faculdade as dependências do antigo Instituto de Desenvolvimento Agroindustrial de Cataguases (IDAIC) no bairro São Diniz (que atualmente encontra-se desativado), por 20 anos. No local serão implantados inicialmente dois cursos: Medicina veterinária e Gestão do Agronegócio. A previsão é que seja implantado no local uma Fazenda Escola, um Hospital Veterinário com alojamento hospitalar para pequenos e grandes animais e um Pet Shop com hotel para animais. A Fazenda Escola terá estrutura para realização de cirurgias, inseminação artificial e "in vitro", entre outros.

Com um projeto que visa alcançar aproximadamente cinco mil alunos no futuro, a vinda da Faculdade para o Município será responsável pela geração de empregos diretos e de renda e deverá aquecer o comércio, mercado imobiliário, construção civil entre outros, além de trazer benefícios diretos para a população de bairros próximos como o São Diniz, conforme prevê o comodato. Em Viçosa, o grupo hoje é o maior pagador de impostos que retornam para o Município. 

Em contra partida, a faculdade ofereceu ao Município os seguintes benefícios:

  • Castrações anuais de cães e gatos
  • Doações de 12 cursos de Capacitação Profissional
  • Assistência a Comunidade de Cataguases em diversas áreas, especialmente no controle e tratamento de doenças de animais domésticos (pequeno porte) e animais de produção (grande porte).
  • Investimento de R$ 100 mil no Bairro São Diniz a ser definido pelos moradores do bairro, após reunião extraordinária a ser realizada na Câmara Municipal de Cataguases. Este item foi uma sugestão do vereador Betão do Remo por ocasião da audiência pública realizada anteriormente que foi acatada pela Faculdade.
Embora o parecer do procurador geral da Câmara, Ricardo Spínola, fosse pela ilegalidade e inconstitucionalidade por entender que a forma não deveria ser o comodato e sim cessão de uso, o relator da Comissão de Constituição, Justiça e Redação - CCJR, Vinícius Machado, discordou e exarou parecer pela legalidade e constitucionalidade, com voto contrário da vereadora Doutora Maria Ângela Girardi.


Após aprovação do parecer, o presidente Michelangelo Correa, colocou o projeto em votação que foi aprovado por treze vereadores e teve voto contrário da vereadora Doutora Maria Ângela Girardi e do vereador Paulo Milani.


A reunião contou com vários alunos da Sudamérica que aplaudiram entusiasmado a decisão e também com poucos partidários do Partido dos Trabalhadores – PT, que protestaram contrariamente com vaias.

Nenhum comentário :

Postar um comentário