Enviar para imprimir ou salvar PDF

Cobertura Mídia Mineira - Eleições 2018

sexta-feira, 28 de setembro de 2018

Campanha de Conscientização para Doação de Orgãos acontece neste domingo em Cataguases

Vai acontecer neste domingo (30), na Praça Rui Barbosa, no centro de Cataguases, entre as 7h30 às 11 horas, a Campanha Nacional de Conscientização na Doação de Orgãos em comemoração ao Dia Nacional de Doação de Órgãos e Tecidos que foi celebrado  ontem, 27 de setembro. Em Cataguases o evento é organizado pela Associação Dos Pacientes Renais da cidade, estando à frente o vereador Rafael Moreira.

O principal objetivo desta data é conscientizar a população em geral sobre a importância de ser doador de órgãos, com o intuito de ajudar a milhares de pessoas que lutam por uma oportunidade de salvarem as suas vidas. Alguns temas da campanha são: "Seja um doador de órgãos, eu preciso de você!" e "Anjos só precisam de asas para ir para o céu, sua família é a sua voz".

O vereador Rafael ressaltou que: "a presença de todos é de muita importância para todos os amigos guerreiros que há anos aguardam um órgão na fila do transplante e por falta de informações essa espera e sofrimento aumenta cada dia mais".

Quem deseja contribuir com o movimento pode fazê-lo adquirindo camisas que serão vendidas no dia do evento. Para mais informações, os interessados podem ligar para o número 3429-4900 / ramal 366 ou para o celular 9 9839-5650.

Segundo a Associação de pacientes renais, o Brasil tem hoje uma fila de 50 mil pessoas aguardando transplante. Em relação aos pacientes renais, Cataguases tem hoje 81 pacientes diretos na hemodiálise e 18 indiretos (que fazem outro tratamento sem necessitar ainda da hemodiálise). Na região, a cidade com maior número de transplantes é Juiz de Fora onde são realizados transplantes de córnea, rins, pâncreas e fígado. A referência em Juiz de Fora é a Santa Casa. Neste ano foram realizados apenas 64 transplantes de rim. A fila de espera para um transplante de rim em Juiz de Fora é de 330 pessoas.

Em Minas Gerais, foram realizados 2.244 transplantes durante o ano de 2017 e neste ano, até o mês de agosto foram 1.398, segundo a Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais, a FHEMIG. A fila de espera em todo Estado, em julho, era de 3.834 pacientes. O órgão com maior demanda é o rim, com 2.594 pacientes na fila, seguido por córnea com 1.083 pessoas. Outros órgãos na fila de espera são: rim e pâncreas: 51 pessoas; fígado: 50; coração: 28; medula óssea: 23 e pâncreas: 5 pessoas.

O sucesso de um transplante depende diretamente do tempo decorrido entre o falecimento e a coleta do órgão, por este motivo é necessário que o doador avise em vida a sua família.



Como ser doador de órgãos?

De acordo com a legislação brasileira (lei nº 10.211, de 23 de março de 2001), a retirada dos órgãos e tecidos para doação só pode ser feita após autorização dos membros da família.

Para a doação, o doador deve ter sofrido de morte encefálica, pois somente assim os seus principais órgãos vitais permanecerão aptos para serem transplantados para outra pessoa.

Pessoas vivas também podem ser doadoras de órgãos, mas apenas aqueles que são considerados “duplos”, ou seja, que não prejudicarão as aptidões vitais do doador após o transplante.

Um dos rins ou pulmões, parte do fígado, do pâncreas e da medula óssea são exemplos de órgãos que podem ser doados por pessoas ainda em vida.

Nenhum comentário :

Postar um comentário