Enviar para imprimir ou salvar PDF

sexta-feira, 7 de setembro de 2018

Familiares e amigos de Bolsonaro estão em Juiz de Fora; Polícia suspeita de mais dois envolvidos no atentado


A esposa do presidenciável Jair Bolsonaro, Michelle Bolsonaro e os filhos Carlos Bolsonaro e Flávio Bolsonaro estão em Juiz de Fora acompanhando o candidato que sofreu uma tentativa de homicídio na tarde de ontem (6).

Três médicos do Hospital Sírio-Libanês, de São Paulo também chegaram na noite de quinta para avaliar o estado de Bolsonaro, mas eles descartaram a possibilidade de transferência por enquanto. Segundo os médicos a pressão do paciente precisa se estabilizar para que seja segura a transferência. Uma nova avaliação está marcada para hoje às 8 horas.

Pelo Twitter o filho Flávio Bolsonaro disse ontem às 18 horas que o ferimento havia sido mais grave do que ele imaginava inicialmente. "Infelizmente foi mais grave que esperávamos. A perfuração atingiu parte do fígado, do pulmão e da alça do intestino. Perdeu muito sangue, chegou no hospital com pressão de 10/3, quase morto... Seu estado agora parece estabilizado. Orem, por favor!", disse.

Nesta madrugada o filho postou uma foto do pai tranquilizando a população: "Jair Bolsonaro está mais forte do que nunca e pronto para ser eleito Presidente do Brasil no 1° TURNO! Deus acaba de nos dar mais um sinal de que o bem vencerá o mal! Obrigado a todos que nos deram força nesse momento muito difícil! Brasil acima de tudo, Deus acima de todos!", destacou.

O Senador Magno Malta também esteve na Santa Casa em Juiz de Fora para prestar solidariedade à família. O ator Alexandre Frota também esteve na cidade.

Mais suspeitos presos

A Polícia Militar deteve ontem e encaminhou para interrogatório na Polícia Federal outros dois suspeitos de planejarem o crime contra Bolsonaro juntamente com Adélio Bispo de Oliveira. O autor já foi encaminhado ao Ceresp de Juiz de Fora.


Um dos coordenadores da campanha de Bolsonaro, o deputado federal Delegado Francischini (PSL), encaminhou representação a Polícia Federal para saber se o crime foi político uma vez que o autor era filiado ao PSOL. "Queremos saber se tem um autor intelectual", disse.

Leia também:

Jair Bolsonaro sofre atentado em Juiz de Fora

Nenhum comentário :

Postar um comentário