Enviar para imprimir ou salvar PDF

sexta-feira, 26 de outubro de 2018

Cataguases apresentará projeto de recuperação e restauro do Edgard Cineteatro junto ao BNDES

O prefeito de Cataguases Willian Lobo de Almeida e o secretário de Cultura Fausto Menta, iniciaram as conversas com representantes do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES para restauro do Edgard Cineteatro, recentemente adquirido pela municipalidade. 

Em entrevista exclusiva para o Site Mídia Mineira na Manhã desta sexta-feira (26), a chefe do departamento de Educação e Cultura do BNDES, Luciane Gorgulho disse que o cinema atende aos requisitos básicos para conseguir apoio junto ao banco por ser tombado, pertencer a uma instituição pública e sem fins lucrativos. Ela destacou que o BNDES tem uma ação de apoio ao Patrimônio Histórico de 20 anos e que existe sim a possibilidade de apoio na restauração do monumento, mas frisou que Cataguases terá de apresentar um projeto não apenas para a realização da obra, mas que inclua formas do cinema gerar recursos e desenvolvimento local. "Não basta só restaurar, tem de ser um espaço vivo, com ações efetivas e ativas para dinamizar a economia da cultura, para gerar renda, emprego e desenvolvimento local. Então, eu diria que atende as condições preliminares e necessárias, mas isso não é uma garantia de apoio porque ainda tem de passar pelo Comitê de Projetos Culturais e ser escolhido sob essa ótica, portanto, a recomendação que eu faço é que caprichem nesse plano de recuperação do Cine-Edgar, apresentem um projeto bastante ambicioso, bastante impactante que ele terá maior chance de ser acolhido em nosso Comitê", disse.

O projeto que o município deverá apresentar precisa ser aprovado pelo Comitê de Patrimônio Cultural que se reúne três vezes ao ano. Entre os requisitos, o projeto deverá apresentar com clareza o impacto esperado para a população e as contrapartidas no tocante a geração de emprego, renda e desenvolvimento social, além de apresentar alternativas de sustentabilidade.

Luciene também falou sobre a ajuda do BNDES para confecção de um projeto sustentável: "A gente pode tanto apoiar a obra, o restauro, quanto os investimentos necessários para tornar aquele patrimônio histórico um ativo gerador de emprego, gerador de renda... Isso inclui, por exemplo, recursos para que a instituição possa contratar especialistas para desenvolver um plano de sustentabilidade financeira, consultorias para estruturar essas ações que vão funcionar. Nós estamos à disposição para dialogar, para ajudar a construir isso, mas é importante dizer que para o BNDES, o projeto que é apresentado pra nós, não é só um projeto de obra, é um verdadeiro plano de recuperação daquele monumento, que inclui muito mais que a questão física", destacou.

O secretário municipal de Cultura e Turismo, Fausto Menta, disse que já está trabalhando na confecção de um projeto bonito e sustentável que faça jus a cidade que possui uma história ligada ao cinema. "Vamos definir todas essas questões: da contrapartida, da apresentação do projeto, se faz via instituição sem fins lucrativos ou se faz via iniciativa pública através da prefeitura. Já temos o apoio da Energisa, da Fundação Cultural Ormeo Junqueira Botelho, do Polo Audiovisual da Zona da Mata, a manifestação de apoio do próprio BNDES, do secretário de Estado de Cultura, Ângelo Oswaldo, do Ministério da Cultura através da Cláudia Pedroso, então, agora é seguirmos em frente com o trabalho de um projeto bacana para que seja aceito pelo BNDES e que a gente possa em breve iniciar essas obras e entregar o quanto antes a população este templo do cinema.

Entre as ideias que estão sendo discutidas, o local deverá funcionar como Cineteatro no primeiro andar, ter um Centro de Referência ao Modernismo no segundo andar, um espaço social multiuso no terceiro andar e talvez um espaço voltado para visitação a projetores antigos e relíquias do cinema. Entre as formas de geração de recursos para sustentação do patrimônio, existe a possibilidade de alugar o espaço para reuniões e eventos, entre outros. "Projetos de sustentabilidade para o espaço é que não falta, é só usarmos a criatividade que a gente consegue colocar isso em prática. Esses projetos já estão prontos e o espaço poderá ser locado para vários tipos de eventos, para reuniões, manifestações, então, a gente tem um grande espaço que tem a possibilidade de ser altamente sustentável e não depender de recursos públicos para funcionar", destacou o secretário.

Nenhum comentário :

Postar um comentário