Enviar para imprimir ou salvar PDF

sábado, 20 de outubro de 2018

Troca de tiros em Juiz de Fora entre policiais civis deixa um morto e duas pessoas feridas; R$ 15 milhões em dinheiro falso foi localizado em carros dos policiais


Uma troca de tiros entre policiais civis de São Paulo e policiais civis de Minas Gerais em Juiz de Fora, terminou com a morte de um e com outros dois feridos na tarde desta sexta-feira (19).

De acordo com as informações de testemunhas, o tiroteio ocorreu no estacionamento do Centro Médico Hospital Monte Sinai, na Avenida Itamar Franco, Bairro Cascatinha por volta das 16h20. Os envolvidos seriam um grupo de policiais civis de São Paulo que se encontravam a paisana no estacionamento. Dois policiais civis de Minas Gerais, também a paisana tentaram abordar os suspeitos que estariam de arma em punho e outro grupo que estaria na retaguarda iniciou o tiroteio. 

O policial civil Rodrigo Francisco, conhecido como "Chicão", de 37 anos, morreu no local e outras duas que seriam um idoso de 66 anos e um homem de 42 ficaram feridas. Conforme a assessoria de imprensa da unidade de saúde, um paciente estava em estado grave e passou por cirurgia e o outro teve um ferimento no pé e não corre risco de morte.

A maioria dos policiais de São Paulo foram detidos e encaminhados para Delegacia de Santa Terezinha logo após o tiroteio. Outros quatro agentes fugiram e foram presos no início da noite e levados para a mesma delegacia. Ao todo, foram conduzidos dois delegados e nove investigadores da Polícia de São Paulo. Os nomes não foram divulgados.

Rodrigo Francisco trabalhava há 15 anos no 4º Departamento de Polícia Civil de Juiz de Fora, deixa esposa e uma filha de 5 anos.

Conforme o Jornal Tribuna de Minas, Chicão buscaria a filha de 5 anos no colégio no final da tarde, mas, como não apareceu, a criança ficou esperando pelo pai. A esposa chegou ao local por volta das 18 horas e foi avisada pelos colegas de trabalho sobre o fato.


Informações desencontradas

A Polícia Civil de Juiz de Fora segue investigando o fato mas o real motivo da ação dos policiais civis de São Paulo em Juiz de Fora ainda não foi esclarecido. Sabe-se que a vinda dos policiais à cidade não foi oficialmente comunicada à chefia da Policia Civil de Juiz de Fora. Cogitou-se que eles estariam conduzindo um presidiário e em outra versão que teriam sidos contratados para realizar a escolta de um empresário, mas nenhuma das versões foi confirmada. Um delegado da Corregedoria da Polícia Civil de São Paulo está em Juiz de Fora para acompanhar o caso.

Notas Falsas

Durante as investigações sobre o fato, foram apreendidos pela PCMG nos carros dos policiais civis de São Paulo, cerca de R$ 15 milhões. a maioria em dinheiro falso. As malas estavam em dois carros estacionados no subsolo do estacionamento.



*Fotos: Reprodução Facebook / 
Grupo Juiz de Fora da Depressão

Nenhum comentário :

Postar um comentário