terça-feira, 25 de dezembro de 2018

Especial de Fim de Ano: "o Legislativo era uma ilha de privilégios" diz Michelangelo em entrevista exclusiva para o Site Mídia Mineira

Continuando com a série de entrevistas do Especial Fim de Ano do Site Mídia Mineira, apresentamos neste 25 de dezembro  a entrevista realizada com o vereador Michelangelo Correa.

Michelangelo está em seu terceiro mandato como vereador e finaliza o mandato de presidente da Câmara Municipal de Cataguases, cargo que ocupou pela primeira vez. Como não poderia deixar de ser, o vereador fez um balanço de sua gestão à frente do Legislativo. 

Como expôs, seu principal orgulho foi ter feito uma administração enxuta e implantado controles para evitar desperdícios. Entre as principais ações o vereador citou o corte de supérfluos como desodorizador de ar nos banheiros, troca de manteiga por margarina, controle de estoque, redução dos gastos com limpeza em 70%, racionalização das requisições, extinção do cargo de telefonista passando as funções para a recepção, não aquisição de veículo novo após o acidente que inutilizou o antigo veículo, gerando economia também com combustível, corte de abono natalino e diárias. Com a economia gerada o Legislativo conseguiu devolver para o Executivo mais de R$ 1,7 milhão nos dois primeiros anos.

Michelangelo também iniciou uma reforma administrativa onde modifica e corta cargos, o que poderá gerar uma grande economia caso a nova Mesa Diretora dê sequência no próximo ano. Ao todo são 10 projetos de Lei que servirão para gerar economia. A atual Mesa conseguiu aprovar apenas o primeiro que cortou bonificação para suplentes de comissões. Entre os nove projetos que serão colocados na pauta para o próximo ano, está o que reduz o salário do diretor administrativo.

"Ao longo dos anos os presidentes foram altamente benevolentes e criou-se aqui uma ilha de privilégios", disse o vereador que classificou os cortes como seu maior legado para o próximo presidente.

Como componente da próxima Mesa com o cargo de segundo secretário, Michelangelo disse que pediu ao novo presidente que continue a sequencia de devoluções de recursos para o Executivo.

Seu maior arrependimento na presidência foi não ter conseguido colocar os projetos de reforma administrativa mais cedo.

Michelangelo disse que agora que não estará mais na presidência seu foco será atuar na área da saúde.

Confira a entrevista na íntegra abaixo:

2 comentários :