terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Tratamento oncológico não será mais realizado pelo SUS em Cataguases

Motivo principal pode ter sido a recusa de médicos em realizar procedimentos pelo SUS na cidade

Desde que o Hospital de Cataguases anunciou que a oncologia poderia não mais ser realizada pelo SUS na cidade, em junho de 2017, o temor que assolava a população infelizmente aconteceu. Nesta terça-feira (22), a Santa Casa de Misericórdia de Cataguases (Hospital de Cataguases) emitiu comunicado a imprensa informando o encerramento do serviço de oncologia pelo SUS em Cataguases a partir de 1º de fevereiro deste ano.

O comunicado deixa claro que o Hospital de Cataguases e a empresa gestora do Serviço de Oncologia de Cataguases (SOC), fizeram todos os esforços possíveis para a manutenção e continuidade do atendimento no SUS, mas que por motivos alheios à vontade dos gestores isso não será mais possível. A mudança veio através da Deliberação CIBSUS/MG nº 2854 de 5 de dezembro de 2018 que aprovou  a pactuação e reprogramação da Rede de Oncologia de Alta Complexidade no âmbito da Programação Pactuada e Integrada - PPI do Estado de Minas Gerais. 

A partir do dia 1º de fevereiro os pacientes que estavam realizando tratamento oncológico pelo SUS em Cataguases deverão se dirigir a Secretaria de Saúde para encaminhamento para o novo serviço que, ao que tudo indica, será em Muriaé. No dia da consulta o paciente deverá levar o resultado de todas as biópsias já realizadas, todos os exames dos últimos 12 meses e relatório médico que será entregue pelo SOC.

O SOC continuará mantendo atendimento normal para os pacientes de planos de saúde e convênios.

Descredenciamento da Oncologia em Cataguases

Em setembro de 2018 a Deliberação nº 2.786 da Comissão Intergestores Bipartites do SUS (CIBSUS) aprovou a Metodologia da Revisão da Programação da Assistência nos Serviços de Alta Complexidade da Rede de Oncologia no âmbito do Estado de Minas Gerais afetando diretamente o serviço em Cataguases. 

Uma reunião no dia 24 de outubro do ano passado, no gabinete do prefeito Willian Lobo, onde participaram representantes da Gerência Regional de Saúde, do Hospital de Cataguases, da empresa gestora do SOC, o deputado estadual Fernando Pacheco Fialho, vereadores e outras autoridades, deixou claro que o descredenciamento do serviço de oncologia de Cataguases aconteceu devido o não cumprimento de metas estipuladas, como a realização de cirurgias, onde  o Hospital de Cataguases deveria realizar 650 e fez apenas 27 pelo SUS. O mesmo aconteceu no tratamento de quimioterapia que deveria ser 5300 por ano e foi realizado apenas 2500, ao passo que Muriaé, cidade mais próxima para o tratamento oncológico, extrapola a meta anualmente. Além disso, o SOC deveria realizar cirurgias especificas o que não ocorreu. Na época, o motivo apontado para o não cumprimento das metas seria a dificuldade em conseguir médicos para realizar os procedimentos pelo SUS.

Confira abaixo o comunicado do Hospital de Cataguases na íntegra:

(Clique na imagem para ampliar)

Nenhum comentário :

Postar um comentário