segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

Levantamento em Cataguases revela bairros com maior incidência de focos da dengue

Em Minas já são mais de 7 mil casos prováveis e Itamarati aparece pela primeira vez com casos de chikungunya sendo investigados

Bota Fora em Cataguases. Foto: Jornal Cataguases
A primeira pesquisa amostral do LIRAa (Levantametno Rápido de Índices para Aedes aegypt), alerta para um índice médio de infestação de 1.7%, acima do indicativo considerado aceitável pelo Ministério da Saúde, que seria 1%. Já o índice de infestação predial pela espécie Aedes albopcitus foi de 0,49%. No total, 1.009 imóveis foram visitados e os depósitos nos quais foram encontradas mais larvas do mosquito foram vasos, frascos, bebedouros em geral, fontes ornamentais, tanques, calhas e lajes, sanitários em desuso, piscina, cacos de muro e caixas de passagem de água. Foram identificados focos nos bairros Miguel, Taquara Preta, Guanabara, Primavera, São Vicente, Leonardo, Bom Pastor, Paraíso, Santa Clara, Haidêe e Vila Reis.

De acordo com o relatório do Núcleo de Controle de Endemias da Secretaria de Saúde de Cataguases, o indicador de 1,7% revela um risco médio de epidemia de dengue no município."Infelizmente, a população continua descartando pneus e lixo em locais inadequados, e cuidando pouco dos quintais e da separação dos
materiais recicláveis que possam acumular água. Por isso, a gente faz esse apelo à população, que redobrem os cuidados nesta época de intenso calor, chuva e umidade, já que essas condições tornam o ambiente adequado para a procriação desses mosquitos transmissores de dengue, zika, chikungunya e febre amarela”, esclarece o coordenador do setor, Cosme dos Santos.

O Núcleo de Endemias planeja a retomada dos mutirões de Bota Fora, tais como aconteceram no ano passado, quando todos os bairros foram atendidos. Também será mantida outra metodologia de identificação larval, testada com sucesso em 2018. O uso de armadilhas (vasos chamados ovitrampas) que atraem a fêmea da espécie a colocar seus ovos. Essa identificação larval contribui para direcionar as ações específicas dos agentes de saúde no combate às áreas mais infestadas.

Minas Gerais

Conforme o último Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus da Secretaria de Estado de Saúde (SES), em 2019, até o dia 28/01, foram registrados 7.505 casos prováveis de dengue, 130 casos prováveis de chikungunya e 34 casos prováveis de zika.

Pela primeira vez o município de Itamarati de Minas aparece na relação de prováveis casos de Chikungunya com 6 casos ao todo.

Zona da Mata

No ranking divulgado pela SES das 42 cidades que apresentam incidência muito alta,  alta ou média de casos prováveis de dengue, as cidades da Zona da Mata Mineira que figuram na lista são: Barão de Monte Alto, Guarani e Rio Pomba. 

Com informações do Jornal Cataguases e SES

Nenhum comentário :

Postar um comentário