segunda-feira, 1 de julho de 2019

Cataguases está entre os dois municípios mineiros vinculados à Rede de Cidades Criativas da Unesco

Foto: Polo Audiovisual da Zona da Mata
O projeto, que tem por objetivo estabelecer parcerias para promover o desenvolvimento internacional das indústrias criativas, impulsionando a diversidade cultural e a construção de novos elos a partir da cooperação mundial, reúne 180 cidades, de 72 países. Duas das três candidaturas mineiras foram selecionados pelo Itamaraty a participarem do certame. Belo Horizonte, representando a Gastronomia, e Cataguases, como representante do Audiovisual, se juntam a Fortaleza (CE) e Aracaju (SE) como as candidatas brasileiras ao hub internacional de economia criativa. O resultado da edição 2019 deve sair até o fim do ano e deve integrar mais duas cidades brasileiras à rede.


Segundo o secretário de Estado de Cultura Marcelo Matte, Minas Gerais mostrou a força e a riqueza de sua cultura com a indicação da candidatura de duas cidades. “Essa é uma primeira vitória para o estado. Cataguazes abriga o Polo Audiovisual da Zona da Mata, que é uma referência para o cinema nacional, e o berço dos trabalhos do importante cineasta mineiro Humberto Mauro. Já a capital mineira é uma das referências gastronômica do Brasil e promove ações de resgate de produtos e ingredientes, valorizando os modos de fazer e saberes da gastronomia local. Estamos confiante e esperamos integrar essa importante rede de fomento à economia criativa”, avalia o secretário.

De acordo com César Piva, gestor Cultural no Instituto Fábrica do Futuro e um dos responsáveis pela candidatura de Cataguases, a entrada do município na Rede de Cidades Criativas da Unesco permitirá o aumento do intercâmbio e o incremento da formação e cooperação técnica internacional. “A cidade está entrando em um novo momento, buscando ampliar o número de produções com a participação de cineastas e produtoras estrangeiras, estabelecendo parcerias para coproduções. Estar vinculada à rede da Unesco nos abrirá ainda mais portas e permitirá desenvolver sustentavelmente a região”, aponta César Piva.


Com informações da Secretaria de Cultura de Minas Gerais 

Nenhum comentário :

Postar um comentário