sábado, 23 de novembro de 2019

Vereador de Leopoldina e repórter do jornal O Vigilante Online é ameaçado e caso é registrado na Polícia Civil

O repórter do jornal O Vigilante Online José Augusto Cabral, que também é vice-presidente da Câmara Municipal de Leopoldina, foi ameaçado na noite de quarta-feira, 20 de novembro, por William Marques Bento, de 38 anos.

Durante a transmissão de uma ‘live’ feita por William, indivíduo que já possui passagens pela polícia por ameaça e lesão corporal, o repórter José Augusto Cabral foi ameaçado por William, conforme se verifica em áudio vazado nas redes sociais. Além das ameaças ao repórter e vereador, o autor também desferiu ataques ao Jornal O Vigilante Online, fundado há mais de 26 anos pelo pai de José Augusto.

José Augusto Cabral registrou o caso na 3ª Delegacia Regional da Polícia Civil de Leopoldina na manhã de quinta-feira, 21 de novembro. Um outro registro já havia sido feito recentemente na mesma DP após o mesmo indivíduo acusar sem qualquer fundamento o jornal e o vereador de terem mandado apreender o seu veículo.

Entenda o caso

No dia 29 de outubro, a Polícia Militar foi acionada por uma mulher, de 59 anos, moradora do bairro Jardim dos Bandeirantes, que relatou à PM que enquanto transitava pela Rua Miguel Gesualdo, no bairro São Cristóvão, William Marques Bento teria parado em frente ao seu veículo e começado a dançar, ocasião em que a mesma após buzinar por várias vezes fez com que ele saísse da frente de seu automóvel. Conforme o registro policial, quando a mulher já se encontrava transitando pela Rua Nilo Colono dos Santos, o seu veículo foi ‘fechado’ por um veículo Monza, conduzido por William, que arrancou as chaves da direção do veículo da mulher e em seguida deixou o local. A PM foi acionada pela vítima do furto da chave realizado pelo cidadão, e logo após ser localizado foram constatadas irregularidades no veículo, além da PM encontrar uma faca em cima do banco do carona e outros materiais, tudo isso registrado em ocorrência policial.

Após esta ocorrência, que não foi publicada pelo jornal O Vigilante Online, o indivíduo William Marques Bento, na noite seguinte, no dia 30 de outubro, gravou um vídeo em sua página no Facebook, acusando o jornal e o repórter José Augusto Cabral de ter "armado" a situação para que ele, William, fosse preso e tivesse estampada sua foto no site. Atrelado a insultos e palavras de baixo calão, ele acusou, sem qualquer comprovação ou fundamento, o vereador José Augusto de persegui-lo politicamente.

José Augusto esclareceu que sempre se comportou de maneira democrática, aceitando críticas e sugestões. “O que está ocorrendo agora é uma ameaça feita contra mim e ataques contra o jornal, o que lamentamos em ambos os casos. Todo ser humano tem o direito de se indignar quando sua honra ou sua vida são atacadas. Em um regime democrático, o caminho é procurar a Justiça, e é isso que tenho procurado fazer sempre que avalio necessário.

Cumpro minhas atividades com muita seriedade e respeito ao público. Há algumas pessoas que não aceitam este fato e partem para o ataque pessoal. Eu confio na Justiça”, afirmou José Augusto Cabral.

Em um dos ataques a José Augusto Cabral, William disse: “Você vai ver se o Estado vai te defender você de mim, seu bandido” (SIC), afirmou William.

Conforme o editor e diretor do jornal O Vigilante Online, Júlio Cesar Cabral, irmão de José Augusto, a situação é lamentável e precisa de uma resposta rápida das nossas autoridades, pois além da ameaça a um jornalista e vereador, também foi difamado e ferido em sua honra um jornal sério, ético, responsável, que há praticamente três décadas presta serviço aos seus leitores. “A ameaça à liberdade de imprensa é uma afronta à Constituição Federal”, disse, mencionando que o autor das ameaças e injúrias recentemente iniciou a apresentação de um programa de rádio semanal em emissora local, no qual já desferiu ataques a José Augusto e ao Jornal O Vigilante através daquele veículo.

Júlio Cabral acrescentou que a direção da emissora foi procurada esta semana pelo advogado do jornal, o Dr. Edson Rezende, que solicitou o Direito de Resposta, pedido que de pronto foi atendido pela emissora, que franqueou o espaço para os esclarecimentos que serão encaminhados para divulgação nos próximos dias. O editor também informou que espera que o Poder Legislativo Municipal se posicione em relação às ameaças ao vereador e vice-presidente de sua atual mesa diretora.

Júlio Cesar Martins, fundador do Jornal O Vigilante em 1993, disse lamentar a maneira com que os ataques foram feitos contra seu filho e o jornal. “Não podemos nos calar diante de ameaças à liberdade de impren

Fonte:  O Vigilante Online

Nenhum comentário :

Postar um comentário